agricantus

agricantus

Dos grupos novos, o grupo italiano, da Sicília, ‘Agricantus’ é considerado uma pérola da ‘world music’. A designação ‘Agricantus’ procede do latim e significa ‘sons dos campos de trigo’. A banda foi fundada em 1979, em Palermo por três músicos influenciados pela tradição musical siciliana, Mario Rivera, Toni Acquaviva e Mario Crispi. A ilha no sul da Itália foi, durante séculos, um entreposto multicultural. Colonizada pelos fenícios, 800 anos antes da era cristã, assentaram bases por lá cartagineses, romanos, normandos, árabes, alemães, franceses, aragoneses e espanhóis. Foi estado-independente até 1860, quando se uniu ao Reino Unido da Itália. A herança dos colonizadores rendeu à Sicília uma música com características especiais. Os músicos do ‘Agricantus’ reciclam o antigo com o moderno de forma mais original, e contemporânea.

A discografia da banda é extensa. Desde o primeiro álbum da banda, ‘Gnanzú’ (1993), foram exploradas as paisagens, e sempre houve muita sensibilidade. Mario Rivera, Toni Acquaviva e Mario Crispi gravaram o álbum, com interesse no folk do Mediterrâneo. Com Tuareg (1996),e contando com Guiseppe Panzeca e Rosie Wiederkehr, foram em uma direção completamente diferente, fazendo um som tribal com raízes orientais africanas, desenvolvendo uma alquimia musical que vem dos cantos dos nômades Tuaregs do deserto de Mali. A música é cheia de sabores ricos, é uma mistura inacreditável de antigo e de moderno, de europeu e o africano, de popular e de clássico, de tradicional e de eletrônico. Em ‘Kaleidos’ de 1998, em vez de ‘world music’, o álbum mostra a música clássica de compositores como Grieg, Paganini, Albinoni e Brahms. Em ‘Ethnosphere’ de 2000 a influência é tibetana. Em todos há uma variedade de efeitos eletrônicos, de instrumentos de percussão, de guitarras, de teclados e de vocais e uma variedade de outros instrumentos como: didjeridoo, ney persa, zummara, duduk, hornpipe hellenic, mandolin, cítaras acústicas. Há um pouco de tudo para todos nesta mistura tribal, porém moderna.

agricantus - carizzi r'amuri


Agricantus – Tuareg (1996)

Tuareg (1996)

Tracklist
01. Ummiri 02. Hala Hala 03. Ljuljuten(Tin-Zawatine) 04. Com'u Ventu 05. Carizzi R'Amuri (es Souk) 06. Azalai 07. Tuareg 08. Disiu 09. Caruvana 'I Sali 10. U Coni Coni 11. Dune

salif keita, uma voz da áfrica

salif keita

Salif Keita é albino e esse fato, além de ser uma marca distintiva da sua figura, é um dado mais do que importante na sua biografia. É que o músico, que viria a ser considerado ‘a voz dourada de África’, foi desprezado pela própria família e pela comunidade da cidade de Djoliba, onde nasceu. Uma versão da história diz que Keita foi ostracizado porque, na cultura mandinga, uma das maiores da África Ocidental, o albinismo é sinônimo de azar. Segundo outra versão, o pai deserdou-o, pois Keita insistiu em seguir a carreira de música. Em teoria, ele nunca poderia ter enveredado por esse caminho porque a linhagem real não permitia, a música estaria reservada aos contadores de histórias. Nasceu numa família monárquica, fazendo parte da mesma linhagem que Soundjata Keita, fundador do Império do Mali em 1240. Salif Keita teve que quebrar todas as tradições para poder prosseguir o seu sonho ligado à música. Depois de cortar relações com a família, mudou-se para Bamako em 1967, onde tocava em bares com um dos seus irmãos. Em apenas dois anos é convidado para se juntar à ‘Rail Band’, um grupo bastante popular e patrocinado pelo Governo, que tocava regularmente no Hotel De La Gare.

Devido a sua capacidade vocal, o cantor aventurou-se em vôos mais altos, tendo partido para Abidjian, em 1973, com alguns elementos da banda, que adotou o nome de ‘Les Ambassadeurs Internationaux’, continuando a chamar a atenção de todos com a fusão de sons que vinham de Cuba, Zaire e Mali. Em 1977 é galardoado com o prêmio da Ordem Nacional da Guiné, atribuído pelo presidente Ahmed Sekou Toure. Encorajado a prosseguir uma carreira solo, Salif Keita decide mudar-se para Paris em 1984, onde encontra uma comunidade de mais de 15 mil pessoas vindas do Mali. Apesar de todos os que o rodeavam sempre terem acreditado na sua capacidade musical, só em 1987, Salif Keita, consegue editar o álbum de estréia ‘Soro’ onde combina influências vindas de África com o jazz, funk, pop e R&B, deixando a crítica rendida aos seus pés. Em uma crítica da revista ‘Rolling Stone’ da época, pode ler-se: a voz de Keita fala por si. O canto sensual do samba brasileiro com o chamamento das rezas islâmicas. O sucesso de Keita estava assegurado, mas isso não o fez parar, editou vários discos nos anos 90, incluindo a antologia ‘Mansa Of Mali’, ‘Papa’ em 1999 e em 2002 o álbum ‘Moffou’. (por Rita Severino)

salif keita - yamore


Salif Keita – Moffou (2002)

Moffou (2002)

Tracklist
01. Yamore 02. Iniagige 03. Madan 04. Katolon 05. Souvent 06. Moussolou 07. Baba 08. Ana Na Ming 09. Koukou 10. Here

israel kamakawiwo'ole

Israel Kamakawiwo'ole, popularmente conhecido como IZ, foi sem dúvida o artista mais popular do Havaí. Sozinho com o tradicional violão havaiano, criou um estilo próprio e acabou gravando em 1993 o clássico 'Somewhere Over The Rainbow' do filme 'O Mágico de OZ' mesclando com outro clássico 'What a Wonderful World', o que lhe rendeu vários prêmios. Nos últimos anos de sua vida, IZ chegou a uma obesidade extrema, a ponto de atingir 340 quilogramas. Resistiu a diversas hospitalizações, mas veio a falecer em 1997, aos 38 anos. Anos após uma estátua foi construída em Honolulu, honra que somente o governador Jonh A. Burns e o senador americano Spark Matsunaga tiveram. Após sua morte o delicado gigante, assim chamado por seus admiradores continuou com a imagem de positividade e paz e se tornou o símbolo maior da música havaiana. Israel era apaixonado pela sua ilha e seu povo. Dizem que, apesar do seu tamanho avantajado, o corpo ainda era pequeno para tamanha alma. Sua voz era única e inesquecível.

israel kamakawiwo'ole - somewhere over the rainbow & what a wonderful world


Israel Kamakawiwo'ole -  Facing Future (1993)

Facing Future (1993)

Tracklist
01. Hawaii '78 Introduction 02. Ka Huila Wai 03. Ama Ama 04. Panini Pua Kei 05. Take Me Home Country Road 06. Kuhio Bay 07. Ka Pua U'i 08. White Sandy Beach Of Hawaii 09. Henehene Kou 'Aka 10. La 'Elima 11. Pili Me Ka'u Manu 12. Maui Hawaiian Sup'pa Man 13. Kaulana Kawaihae 14. Somewhere Over the Rainbow/What A Wonderful World 15. Hawaii '78

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...