uriah heep

uriah heepOs anos 70, tanto consagraram como marginalizaram. ‘Led Zeppelin’, ‘Yes’, ‘Deep Purple’ entre outras bandas, foram enaltecidas pelos críticos e mídia, enquanto outras, como ‘Black Sabbath’, foram marginalizadas. ‘Uriah Heep’, banda britânica caracterizada por canções melódicas e vocais harmoniosos foi outra banda incompreendida na sua genialidade musical. O começo de tudo foi em 1965, com a banda ‘The Stalkers’, tocando covers em shows e clubes. Faziam parte o guitarrista Mick Box e o vocalista David Garrick, que mais tarde mudou seu nome artístico para David Byron. Dois anos depois, por divergências com os outros integrantes a banda foi desfeita, e Mick e David formaram a banda ‘Spice’ com o baterista Nigel Pegram e o baixista Barry Green. A influência do blues do ‘The Stalkers’ foi se acabando e ‘Spice’ começou a fazer hard rock, sempre com influências de jazz.

uriah hheep david byronTocando em pubs e colégios a banda conseguiu assinar com um produtor e decidiu adicionar teclados às gravações de estúdio. Com a entrada do tecladista Ken Hensley, a banda desenvolveu seu som definitivo baseado nas harmonias vocais e combinações guitarra/teclado e a banda mudou seu nome para ‘Uriah Heep’, inspirado no personagem homônimo do livro ‘David Copperfield’, de Charles Dickens. O ‘Uriah Heep’ atingiu o topo da carreira em meados dos anos 70, começando com seu quarto álbum, "Demons and Wizards", que apresentou sua formação mais clássica: Mick Box (guitarra), David Byron (vocal), Ken Hensley (teclado), Gary Thain (baixo) e Lee Kerslake (bateria). Em 75, a banda decidiu tirar Gary Thain que foi eletrocutado quando estava tocando ao vivo em Dallas. Esse incidente culminou com sua morte por uma overdose de drogas. Em 76, o cansaço começou a afetar o ‘Uriah Heep’ e se tornou impossível trabalhar com David Byron, em virtude de seus problemas com o álcool e a banda também optou por sua saída. Em 80, Ken Hensley, responsável por grande parte dos clássicos do grupo, finalmente abandona o barco.

uriah heep bernie shawApós sair do Uriah Heep, Byron gravou quatro discos, mas estava cada vez mais aprofundado na bebida e em 1985, ele é encontrado morto em seu apartamento devido a um ataque cardíaco pelo excesso da bebida. Byron morreu, mas virou uma lenda. O ‘Uriah Heep’ vivenciou o auge nos anos 70, com David Byron e Ken Hensley, e a decadência no início dos anos 80, com várias mudanças na formação e discos irregulares. A volta por cima deu-se no final dos anos 80 com o vocalista canadense Bernie Shaw que teve que suportar a pressão do mercado musical que investia no glam rock e conviver com o fantasma carismático de David Byron. Bernie Shaw e o tecladista Phil Lanzon entraram no grupo em 1986, juntando-se a Mick Box, Lee Kerslake e Trevor Bolder. Esta formação permanece junta até os dias atuais. Em 2001, uma fábrica russa lançou a vodca 'Drinking Eagles Vodka, Extra Strong Russian Uriah Heep', em homenagem à banda, há até uma foto deles no rótulo. O Uriah Heep, sempre odiado pela crítica e amado por seus fãs, segue firme seu caminho fazendo um rock pesado recheado de harmonias vocais e duelos de órgão e guitarra.

uriah heep - If I had the time
(vocal david byron)


Sweet Freedom (1973)

Tracklist
01. Dreamer 02. Stealin’ 03. One Day 04. Sweet Freedom 05. If I Had the Time 06. Seven Stars 07. Circus 08. Pilgrim

Revelations – The Uriah Heep Anthology (2004)

Revelations – The Uriah Heep Anthology (2004)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. Gypsy 02. Come Away Melinda 03. Wake Up (Set Your Sights) 04. Here I Am (Alternative Mix) 05. Time To Live 06. Lady In Black 07. July Morning 08. Look At Yourself 09. Paradise / The Spell 10. Rock 'n' Roll Medley (Live)

Tracklist CD 2
01. The Wizard 02. Easy Livin' 03. The Magician's Birthday 04. Stealin' 05. Sweet Freedom 06. Wonderworld 07. Return To Fantasy 08. Weep In Silence 09. The Hanging Tree 10. Free 'n' Easy 11. Think It Over 12. Rockarama

angela rô rô

angela rô rô

Ângela Maria Diniz Gonçalves, a Ângela Rô Rô, nasceu no Rio de Janeiro. Cantora, compositora e pianista (estudou piano erudito desde os cinco anos), iniciou a carreira em casas noturnas do Rio de Janeiro. O apelido Rô Rô veio por causa da voz grossa e rouca. Influenciada por cantoras como Maysa e musas do jazz norte-americano como Ella Fitzgerald, foi para Londres na época do regime militar, onde cantou em pubs e trabalhou em restaurantes. De volta ao Brasil, gravou seu primeiro álbum em 1979, um disco bastante romântico, com clima bluseiro, algo incomum na época, a música ‘Amor, meu grande amor’ foi o seu primeiro grande sucesso. Em 80, gravou o LP ‘Só nos resta viver’, cuja faixa-título de sua autoria é sucesso até hoje. ‘Escândalo’, o terceiro LP, trazia o título na capa como uma manchete de jornal, parodiando as notícias escandalosas que saíram na imprensa por conta de seu rompimento com a cantora Zizi Possi. A faixa-título de Caetano era um blues que traduzia perfeitamente aquele momento da cantora. Em 82, Angela estourou com ‘Simples Carinho’. No ano seguinte, Maria Bethânia voltou a gravar uma música de sua autoria, ‘Fogueira’. Em 84, fez sucesso com o fox ‘A vida é mesmo assim" e no ano seguinte, com ‘Mônica’, feita sobre a morte de uma estudante assassinada pelo namorado.

Em 2000, doze anos depois de seu último CD de estúdio e sete depois de um álbum ao vivo, Ângela Rô Rô volta ao mercado com o álbum 'Acertei no Milênio'. Renovada, com seu timbre rouco e quente inconfundível, ela venceu a sua confessa preguiça e seu inferno pessoal e escreveu uma autobiografia, mais uma vez, através da música. Destacando-se no álbum, a romântica ‘O cinema, a princesa e o mar’, além de ‘All of me’, gravada por Billie Holiday, Frank Sinatra, Ella Fitzgerald, entre outros, uma versão elétrica de ‘Don’t let me be misunderstood’, clássico nas interpretações de ‘The Animals’ e a bela ‘Gota D’Água’, em ritmo de blues, composição de Chico Buarque para a peça homônima. Conhecida por seu temperamento irreverente, por suas doses a mais de bebida e por ter sido a primeira cantora brasileira a revelar a sua homossexualidade, Angela acabou marcada como uma artista maldita, gravando desde então apenas dois discos. As músicas mais marcantes de seu repertório são baladas de amor, blues e jazz.

angela rô rô - vou lá no fundo



angela rô rô - minha historia

Minha Historia (1995)

Tracklist
01. Simples Carinho 02. Amor Meu Grande Amor 03. Escândalo 04. Bárbara 05. A Vida É Mesmo Assim 06. Só Nos resta Viver 07. Fica Comigo Esta Noite 08. Fogueira 09. Tola Foi Você 10. Blue Jeans 11. Mônica 12. Demais 13. Meu Mal É a Birita 14. Renúncia

Ângela Rô Rô (1979)

Ângela Rô Rô (1979)

Tracklist
01. Cheirando a amor 02. Gota de sangue 03. Tola foi você 04. Não há cabeça 05. Amor, meu grande amor 06. Me acalmo danando 07. Agito e uso 08. Mares de espanha 09. Minha mãezinha 10. Balada da arrasada 11. A mim e mais ninguém 12. Abre o coração

Ângela Rô Rô - Escândalo! (1981)

Escândalo! (1981)

Tracklist
01. Perdoai-os, Pai 02. Came e case 03. Escândalo 04. Tão beata, tão à toa 05. Na cama 06. Vou lá no fundo 07. Perco o rumo 08. Fraca e abusada 09. Coitadinha, bem feito 10. Passarinho 11. Mistério

Ângela Rô Rô – Acertei no Milênio (2000)

Acertei no Milênio (2000)

Tracklist
01. O cinema, a princesa e o mar 02. Acertei no milênio 03. Boemia do sono 04. Sim, dói 05. Viciei em você 06. All of me 07. Don't let me be misunderstood 08. Gota d'água 09. Coquinho 10. Fila de ex-mulher 11. Raiado de amor 12. Garota Mata Hari 13. 50 anos

neil young

posts relacionados
Buffalo Springfield

neil youngNeil Percival Kenneth Robert Ragland Young é cantor e compositor canadense com voz anasalada e canções melancólicas, um músico extremamente influente, um dos nomes mais importantes desde a década de 70, com suas baladas acústicas e rock country. Ainda jovem começou em bandas colegiais e já era famoso quando resolveu tentar a carreira-solo como ex-membro do ‘Buffalo Springfield’ nome de um veículo agrícola, que logo se tornou conhecida na cena local pelo seu folk-rock psicodélico. De carreira instantânea a banda gravou apenas três álbuns nos quais Young compôs algumas de suas canções mais marcantes. Apesar do sucesso a banda se separou devido a vários atritos e Young seguiu carreira solo e lançou seu primeiro LP em janeiro de 1969. Um álbum decepcionante.

Quase na mesma época começou a tocar com uma banda chamada ‘The Rockets’ que mais tarde, passou a chamar ‘Crazy Horse’. Meses depois lançou o seu segundo álbum solo que apesar do sucesso de crítica e a boa aceitação popular, Young resolve desistir da sua carreira solo e participar do grupo formado pelos seus amigos Crosby, Stills e Nash, que ficou conhecido como CSN&Y que fez sua estréia em Woodstock. No ano seguinte lançaramm o disco ‘Deja Vu’, grande sucesso de público e crítica, mas a banda resolveu se dissolver. Em 1972 o guitarrista do ‘Crazy Horse’ Danny Whitten, morreu de overdose de heroína, seguido logo depois pelo grande amigo Bruce Berry. Essas duas mortes abalaram bastante Neil Young que inicia um dos períodos mais obscuros de sua carreira, muitas de suas letras a partir daí são relacionadas a temas como perda, morte, vício e loucura; marca também a entrada de Young no álcool e nas drogas. No ano seguinte gravou um álbum em homenagem aos dois amigos e saiu numa desastrosa turnê marcada por bebedeiras, apresentações caóticas, críticas negativas e platéias hostis.

buffalo springfield

Buffalo Springfield

Em 1975 Young já estava sóbrio o bastante, e começou a colocar sua carreira de volta nos trilhos, fazendo as pazes com público e crítica. Na década de 90 é aclamado por uma nova geração de músicos pós-punks como o ‘vovô do grunge’ e entra na onda da nova geração de bandas de roqueiros barulhentos e também começou a curtir rap. O álbum ‘Harvest Moon’ de 1992 traz Young fazendo seus sons acústicos sentimentais. Em 1994, colaborou na trilha sonora do filme ‘Philadelphia’ estrelado por Tom Hanks. No inicio de 2000 o caipira grunge ao lado de sua inseparável banda ‘Crazy Horse’, que o acompanha há mais de 30 anos, seguiu mostrando que mesmo aos 54 anos, ainda sabia como agradar a sua platéia. Famoso pela perfeição nas letras e nos acordes, adepto da simplicidade no vestir e no comportamento, Neil Young já fez de tudo: jazz, música eletrônica, bossa nova, fusion e experimental. Atualmente vive recluso e junto com a sua mulher dirige uma associação de ajuda a crianças deficientes, seu filho, com problemas mentais, é tratado aí.

neil young - rockin' in the free world


neil young - greatest hits (2004)

Greatest Hits (2004)

Tracklist
01. Down By The River 02. Cowgirl in the Sand 03. Cinnamon Girl 04. Helpless 05. After the Gold Rush 06. Only Love Can Break Your Heart 07. Southern Man 08. Ohio 09. The Needle And The Damage Done 10. Old Man 11. Heart of Gold 12. Like A Hurricane 13. Comes A Time 14. Hey Hey My My 15. Rockin’ in The Free World 16. Harvest Moon

supertramp

supertramp

'Supertramp' é uma banda britânica de rock dos anos 70 que consegue dividir opiniões. Alguns tentam encaixá-la no gênero progressivo por causa de 'Fool’s Overture', uma de suas melhores músicas e que tem mais de 10 minutos de duração. Já outros a vêem como pop graças a hits simples como 'Dreamer', 'Give a Little Bit' e 'The Logical Song'. Talvez por isso o grupo nunca chegou ao verdadeiro estrelato, a despeito dos 70 milhões de discos que vendeu até hoje. No auge de sua popularidade, os membros do Supertramp podiam andar na rua sem serem reconhecidos, de tão low-profile que eram. Tudo começou no ano de 1969 quando um tecladista e vocalista cheio de talento e totalmente sem grana, Rick Davies, foi encontrado por um milionário suíço decidido a bancar o projeto de formar uma banda de rock. Após uma incansável procura por outros músicos, surgiram Roger Hodgson (guitarrista, baixista e vocalista), Richard Palmer (guitarrista) e Robert Millar (baterista) que criaram a primeira formação de 'Supertramp' que recebeu o nome de 'Daddy'.

Rick era um instrumentista extremamente influenciado pelo blues, jazz e rock'n'roll americano do final dos anos 50. Já Roger tinha sua base musical formada no ambiente do rock inglês dos anos 60, bebendo na mesma fonte dos Beatles, Genesis, Traffic e outros. Somente em 1973, 'Supertramp' começaria a caminhada para se tornar um dos maiores marcos na história da música internacional, e três nomes se mostraram fundamentais para isso: o baixista escocês Dougie Thomson, que já havia passado por algumas bandas britânicas, o californiano Bob Siebenberg que assumiu a bateria e o saxofonista John Helliwell, um dos membros mais marcantes da história do grupo, não apenas pelo seu tremendo talento, mas também pela sua simpatia e eterno senso de humor. O 'Supertramp' emplacou grandes hits nesses 33 anos de existência. Produziram músicas de todos os estilos. Desde o mais refinado rock progressivo do início da carreira, passando pelo pop e por baladas dos anos 80, chegando até o blues e o jazz de seus trabalhos mais recentes, o 'Supertramp' continua encantando pela sua versatilidade e ecletismo.

supertramp - the logical song


supertramp - the very best of (1992)

The Very Best of (1992)

Tracklist
01. School 02. Goodbye Stranger 03. The Logical Song 04. Bloody Well Right 05. Breakfast In America 06. Rudy 07. Take The Long Way Home 08. Crime Of The Century 09. Dreamer 10. Ain't Nobody But Me 11. Hide In Your Shell 12. From Now On 13. Give A Little Bit 14. It's Raining Again 15. Cannonball

khaled

Cheb Khaled, ou simplesmente Khaled, cujo nome de nascimento é Khaled Hadj Brahim, nascido na Argélia em 1960, é um dos mais conhecidos cantores e compositor e principal figura do 'blues do deserto'. Khaled investe na mistura de música árabe com gêneros contemporâneos. Conhecido como o rei do raï, ele é um dos nomes mais representativos do gênero, que surgiu na Argélia no final dos anos 70. Começou a se tornar conhecido na década de 80, quando ainda usava o nome artístico Cheb Khaled. Fã desde garoto de artistas como James Brown, Elvis Presley, Beatles e Charles Aznavour, ele lançou seu primeiro single aos 16 anos. Sofrendo com a repressão política que marcava seu país e que tinha os músicos pop como alvos constantes, ao participar em 1986, de um festival de música rai, em uma região próxima de Paris, o pop argelino gostou tanto que resolveu se mudar para a França, fugindo assim, da perseguição dos fundamentalistas islâmicos, dos quais discorda quanto aos rígidos princípios religiosos. Nas músicas, demonstra engajamento falando de amor e liberdade, fazendo poesia erótica de cunho político.

Após vários discos de boa repercussão, ele estoura em 1991 com um disco que inclui as músicas ‘Didi’ e ‘El Arbi’. E é com este mesmo CD, oito anos depois, que Khaled se torna um grande sucesso no Brasil. O suingue das arábias conquistou a noite e as rádios e abriu espaço para a música oriental no país. Freqüentadores da noite e ouvintes de rádio passaram a perguntar de quem é 'aquela música árabe' que encanta muita gente à primeira audição. Tratava-se de 'El Arbi' que fez parte da trilha sonora de uma novela de grande audiência na TV brasileira, que depois, tocou durante anos em festas universitárias e redutos de world music. Em seus discos de grande êxito, Khaled mistura as raízes da música raï com reggae, o funk, o flamenco, o calipso e outros cantos do leste da Europa, no entanto, o último álbum de Khaled, é uma genuína volta às raízes e essência da música raí. Sempre com um cálido sorriso e com acordes egípcios faz uma homenagem ao povo argelino e ao seu folclore. Mesmo que poucos entendam a letra, 'El Arbi' tem um encanto hipnótico. Acima de tudo pela voz exuberante de Khaled, autor da canção. Seus versos dizem o seguinte: 'eu sou o árabe, filho da floresta e a perdiz é minha paixão...eu sou o árabe, filho do deserto e a areia é minha paixão. nem as flores nem as pessoas queridas me deixam tão apaixonado'.

khaled - el arbi


Khaled (1992)

Khaled (1992)

Tracklist
01. Didi 02. Arbi 03. Wahrane 04. Ragda 05. Ghatli 06. Liah Liah 07. Mauvais Sang 08. Braya 09. Ne m'en Voulez Pas 10. Sbabi 11. Harai Harai

edson cordeiro

edson cordeiro

O cantor brasileiro Edson Cordeirocomeçou cantar com 6 anos, quando se juntou a um coro da igreja evangélica freqüentada por seus pais, onde cantou até os 16 anos. Depois passou a cantar nas ruas do centro de São Paulo, em pleno horário do rush, chamava a atenção de curiosos que lhe davam algum trocado para que pudesse enriquecer sua coleção de discos. Fez teatro e foi ator e cantor na terceira montagem brasileira da ópera-rock ‘Hair’ e depois atuou na montagem de ‘O doente imaginário’, de Molière viajando pela Europa, EUA, México e América Central. Suas distinções são o timbre vocal de contratenor (voz masculina aguda, com o mesmo alcance do soprano feminino) e o repertório eclético, que inclui autores tão diversos como Noel Rosa, Janis Joplin, Rolling Stones, Handel, Bizet e Mozart. Misturava ópera, música popular brasileira, rock e outros ritmos em pelo menos cinco línguas diferentes (inglês, espanhol, italiano, alemão e francês).

Em 1994, o cantor foi mostrar seus dotes vocais na Europa, onde gerou manifestações de incredulidade e estupefação por parte do público. A primeira reação de Nina Hagen ao ouví-lo interpretando ‘Naturträne’ foi convidá-lo para uma turnê. Ela não acreditava que fosse um homem cantando. Apresenta-se com freqüência no exterior, e faz sucesso particularmente na Alemanha. Para entender Edson Cordeiro não é preciso entender de música, basta ouvi-lo. Mas às vezes ouvi-lo simplesmente não basta, é preciso vê-lo também. E assim, admirar o Edson cantor-ator, que troca de voz como quem troca de roupa e sai de um personagem para rapidamente se transmutar em outro. Edson vai à ópera e volta uma autêntica prima donna. E como um jornalista alemão definiu durante sua visita àquele país: vozes como a de Edson soam como se não fossem deste mundo, fazem o sangue ferver, impressionam e estarrecem ao mesmo tempo.

edson cordeiro - coming


Edson Cordeiro - 21 Grandes Sucessos

21 Grandes Sucessos

Tracklist
01. La Seguedille 02. Naturtrane 03. Spirit In The Dark 04. A Rainha Da Noite 05. Babalu 06. Kiss 07. Mamãe Coragem 08. Baioque/Baião 09. Ate O Fim Do Mundo 10. Ouça A Canção 11. Cowboy Solitário/Sexual Healing 12. Coming 13. Viúva Negra 14. Primavera 15. Mercedes Benz/Ponto De Macumba 16. You Make Me Feel Like Darling 17. Perigosa 18. Dancing Queen 19. Karma Chameleon 20. I Will Survive 21. Ave Maria

nana caymmi

nana caymmiDinair Tostes Caymmi é o nome de batismo dessa que é uma das melhores cantoras brasileiras. Nana Caymmi nasceu no Rio de Janeiro, em 1949. Sua voz de contralto é herança de seu pai, Dorival Caymmi, mas a sua forma de interpretar é completamente única. Tem particularidades na sua maneira de cantar. Consegue manter notas e controlar volumes de som através uma técnica de respiração que distingue da maioria das cantoras existentes. Mas isso não a transforma em uma cantora técnica. Muito pelo contrário. Nana Caymmi é basicamente emoção. Seu canto é suave, é lânguido, é sentimental. Marca profundamente quem a ouve, seja pela beleza da voz, seja pela profundidade das músicas que canta, seja pela emoção que passa. Por nunca ter se preocupado em acompanhar os modismos musicais, nunca chegou a estar no topo da lista dos mais vendidos, mas fez uma carreira sólida e coerente. Apostou na beleza, na emoção e no bom gosto. Sempre cantou o melhor, o mais bonito, e por isso, o mais eterno. Já interpretou composições de Tom Jobim, Toninho Horta, Vinícius, do pai, Dorival, do irmão, Dori, e de tantos outros compositores de respeito. E com esse cuidado, com este esmero, conquistou um lugar de destaque dentro da musica brasileira. Para quem gosta de uma boa música, Nana é um presente. Com a vantagem de não ter prazo de validade. Porque Nana não é efêmera, é eterna. Isso é sucesso. (fonte: MPBnet)

    sem poupar coração (2009)

Série Bis (2005)
CD 1    CD 2

Sem Poupar Coração (2009)

Série Bis: CD 1
01. Resposta ao Tempo 02. Só Louco 03. Mudança dos Ventos 04. A Noite do Meu Bem 05. Não Se Esqueça de Mim 06. Pra Dizer Adeus 07. Carinhoso 08. Estrada do Sol 09. Canção da Manhã Feliz 10. De Volta ao Começo 11. Formicida, Corda e Flor 12. Até Quem Sabe 13. La Puerta 14. Acalanto

Série Bis: CD 2
01. Fascinação 02. Café com Pão 03. Meu Bem Querer 04. Fim de Caso 05. Mas Quem Disse que Eu Te Conheço 06. Pra Machucar meu Coração 07. Por Toda Minha Vida 08. Quando o Amor Acontece 09. Não me Conte 10. Dora 11. Suave Veneno 12. No Analices 13. Tu Me Acostumbraste 14. Contrato de Separação

Sem Poupar Coração01. Sem Poupar Coração 02. Contradições 03. Caju em Flor 04. Senhorinha 05. Bons Momentos 06. Visão 07. Dúvida 08. Confissão 09. Fora de Hora 10. Pra Quem Ama Demais 11. Diamante Rubi 12. Esmeraldas 13. Violão 14. Não se Esqueça de Mim

nana caymmi e jazz sinfônica - suave veneno



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...