big mama thornton

big mama thornton'Big Mama' Thornton era uma descendente direta das cantoras de blues clássico Ma Rainey, Bessie Smith, e especialmente Memphis Minnie. Seu nome é um legado e irá permanecer para sempre entre as lendas do blues e por ter influenciado gerações de cantores do blues e do rock como Elvis Presley e Janis Joplin. Willie Mae Thornton nasceu em 1926, em Montgomery, Alabama, e sua introdução à música, como aconteceu com muitas outras lendas, começou na Igreja Batista: seu pai era ministro e sua mãe cantava no coral. ‘Big Mama’ e seus seis irmãos começaram a cantar em uma idade muito precoce. Quando tinha apenas catorze anos abandonou o Alabama após a morte de sua mãe. Em 1948, se estabeleceu em Houston, Texas, onde viveu por alguns anos. Em 1950, Willie Mae com a cantora Little Esther e o cantor Mel Walker se apresentavam em shows organizados pelo líder de banda e empresário Johnny Otis, que também era baterista, pianista, e foi um dos mais importantes personagens brancos da história do rhythm & blues. Os três tornaram-se amigos e foram para New York e apresentaram-se no Teatro Apollo, uma das mais famosas salas de concertos do Harlem. Willie Mae, na abertura, cantou o hit ‘Have Mercy Baby’, entre outros. Ela foi um enorme sucesso e encabeçou o show na noite seguinte. O apelido ‘Big Mama’ veio de alguém após o primeiro show.

De volta a Houston, em 1951, assinou um contrato de cinco anos com Don Robey da gravadora ‘Peacock Records’. Compunha canções, tocava gaita e se apresentava com a banda de Louis Jordan em uma boate onde conheceu músicos famosos como Junior Parker, Lightning Hopkins, Fulson Lowell, e Gatemouth Brown. Todos eles ajudaram a influenciar o seu estilo e ela contribuiu muito para a tradição do blues do Texas. Foi nessa época também que Thornton aprendeu a tocar bateria. Jerry Lieber e Mike Stoller escreveram ‘Hound Dog’ que Big Mama gravou de um lado e no lado B, ‘They Call Me Big Mama’. Vendeu quase dois milhões de cópias e Big Mama recebeu o primeiro cheque de sua vida, no valor de apenas $500. Elvis Presley fez de ‘Hound Dog’, um clássico do rock’n’roll, três anos depois.

Johnny Otis, Big Mama e Don Robey

Johnny Otis, Big Mama e Don Robey

Após o lançamento de ‘Hound Dog’ em 1952, Big Mama Thornton saiu em turnê com alguns de seus velhos amigos, em primeiro lugar com Junior Parker e Johnny Ace em 1953, e depois com Gatemouth Brown em 1956. Mais tarde, ela começou a travestir-se e embora existam rumores de que ela era lésbica, ela nunca quis tocar neste assunto. Após terminar suas turnês, ela deixou Houston em 1960 e se mudou para a área da Baía de San Francisco tocando gaita e bateria em alguns dos clubes locais quando a popularidade do blues começou a declinar. Em 1961, Thornton foi trazida para a ribalta de novo com a música ‘Ball and Chain’. Fato semelhante ao ocorrido com Elvis Presley, ‘Ball and Chain’, mais tarde, se tornou um enorme sucesso nos anos 60 com Janis Joplin.

big mama thornton & buddy guy    big mama thornton & muddy waters

Big Mama Thornton, em 1965, interpretando 'Hound Dog'
acompanhada de Buddy Guy e Muddy Waters

Mas seu estilo rude acabou arrastando-a para o blues elétrico de Chicago, onde foi ‘adotada’ por Muddy Waters. Na canção 'My love', Big Mama é acompanhada pela banda inovadora de Muddy Waters composta por guitarra amplificada, harmônica, piano e bateria. Ao contrário de tornar a música simplesmente mais alta, o uso de amplificadores a tornou mais intensa. Big Mama Thornton participou de dezenas de festivais ao lado dos grandes nomes do gênero, principalmente nos anos 60 e 70. Foi bem recebida em festivais como o ‘Monterey Jazz Festival’, ‘Newport Folk Festival’ e o ‘Ann Arbor Blues Festival’. E também excursionou pela Europa com a ‘American Folk Blues Festival’ em 1964. Em 1979, ela participou do ‘São Francisco Blues Festival’, apesar da saúde debilitada, neste festival a sua apresentação foi o que os críticos chamaram de o desempenho de uma vida.

big mama thornton    big mama thornton

Big Mama Thornton em Los Angeles em 1969 e já bastante debilitada em 1983

Mesmo depois de um grave acidente de carro em 1981, que ela precisou de uma grande cirurgia, e incapaz de andar, ela se apresentou em um cabaré em Pasadena, Califórnia. Em 1984, morreu em uma pensão de Los Angeles, de ataque cardíaco e de cirrose, provavelmente provocadas por anos de alcoolismo. Após uma vida de realizações foi introduzida no ‘Blues Foundation's Hall of Fame’. Em 2000, Big Mama Thornton foi lembrada em um show de dança chamado ‘Sweet Willie Mae’. Andrea E. Woods, que foi a coreógrafa do espetáculo, quis celebrar a liberdade que encontrou na música de Big Mama. Ela também foi parte de uma exposição no Museu da Mulher, em Dallas, e a sua gravação ‘Hound Dog’ toca continuamente em uma sala dedicada aos músicos do sexo feminino. Estas são altas honras para uma mulher que morreu pobre e sozinha. Uma mulher em uma profissão dominada por homens, Big Mama Thornton deixou uma marca indelével no mundo da música com a voz do tamanho do Texas.

big mama thornton - my love

Big Mama Thornton - vocal & gaita
Muddy Waters - guitarra
Ottis Span - piano
James Cotton - gaita
Francis Clay - bateria
Luther Johnson - baixo
Samuel Lowhorn - guitarra



in europe (1965)    Big Mama Thornton - The Original Hound Dog (1990)

In Europe (1965)    |    The Original Hound Dog (1990)

Tracklist: In Europe
01. Black Rat 02. Bumble Bee 03. Down-Home Shakedown 04. Everything Gonna Be Alright 05. Hound Dog 06. I Feel The Way I Feel 07. I'm Feeling Alright 08. Life Goes On 09. Little Red Rooster 10. Looking The World Over 11. My Heavy Road 12. My Love 13. School Boy 14. Session Blues 15. Sometimes I Have A Heartache 16. Sweet Little Angel 17. Swing It On Home 18. Unlucky Girl 19. Your Love Is Where It Ought To Be

Tracklist: The Original Hound Dog
01. Hound dog 02. Walking blues 03. My man called me 04. Cotton picking blues 05. Willie mae's trouble 06. The big change 07. I smell a rat 08. I just can't help myself 09. They call me big mama 10. Hard times 11. I ain't no fool either 12. You don't move me no more 13. Let your tears fall baby 14. I've searched the world over 15. Rock-a-bye baby 16. How come 17. Nightmare 18. Stop a-hoppin' on me 19. Laugh, laugh, laugh 20. Just like a dog 21. The fish 22. Mischievous boogie

big mama thornton - ball n'chain    big mama with muddy waters blues band (1966)

Ball N'Chain (1993)    |    Big Mama Thornton with The Muddy Waters Band (1966)

Tracklist: Ball N'Chain
01. Sweet Little Angel 02. Unlucky Girl 03. Swing It On Home 04. Little Red Rooster 05. Hound Dog 06. Your Love Is Where It Ought To Be 07. School Boy 08. My Heavy Load 09. I'm Feeling Alright 10. Sometimes I Have A Heartache 11. Black Rat 12. Life Goes On 13. Bumble Bee 14. Gimme A Penny 15. Wade In The Water 16. Ball N' Chain

with The Muddy Waters Band
Personnel: Big Mama Thornton (vocal, harmonica na 14,17, bateria na 5); James Cotton (harmonica); Luther ‘Houserocker’ Johnson (baixo); Muddy Waters, Sammy Lawhorn (guitarra); Otis Spann (piano); Francis Clay (bateria)
Tracklist: 01. I’m Feeling Alright 02. Sometimes I Have a Heartache 03. Black Rat [Take 4] 04. Life Goes On 05. Everything Gonna Be Alright 06. Big Mama’s Bumble Bee Blues 07. Gimme A Penny 08. Looking The World Over 09. I Feel the Way I Feel 10. Guide Me Home 11. Black Rat [Take 2] 12. Wrapped Tight 13. Gimme A Penny [Take 5] 14. Big Mama’s Shuffle 15. Since I Fell For You 16. I’m Feeling Alright [Fast Version] 17. Big Mama’s Blues (My Love)

15 comentários:

Luiz Lailo disse...

Antigamente eu era um gastador compulsivo. Quando havia uma Feira do Livro no Rio de Janeiro eu voltava para casa deprimido, gastava o último tostão em livros. Hoje existe um enorme rombo no meu bolso que não me permite mais tais estrepolias.
O jornaleiro era o grande dreno das minhas parcas economias. Eu comprava todos os números da Guitar Player (edição americana), números avulsos da Modern Photography, Popular Photography, fascículos de um curso de alemão, fascículos de um curso de aquarela, que consegui encadernar (em 4 lindos volumes), mais de uma coleção de flores e plantas, Playboy, Ele & Ela, etc, etc, etc.
Olha, essa minha algaravia daria um post. Além das revistas de eletrônica havia também os discos: música clássica, jazz e blues.

Quem sabe eu não tenho a Willie Mae Thornton? Não tenho lembrança. Então, oficialmente, tomo conhecimento através da amiga Tamara.

Em tempo: estou procurando um número do ano de 1975 da Popular Electronics onde era apresentado o computador pessoal Altair. Bill Gates era um garoto sonhador e comprou a mesma revista que eu. Se eu morasse no Vale do Silício talvez hoje poderia existir um outro Sistema Operacional chamado, quem sabe, "Beija-Flor"?

Muitas vezes os sonhos são construídos sobre o que poderia ser...

mara* disse...

sobre a Popular Eletronics (1975) talvez você já conheça este site se não...vale à pena uma visitinha.

nunca me sobrou um tostãozinho furado para sequer pensar em comprar um vinil, ou um livro, ou algum dos muitos fascículos que existiam...o máximo que fiz foi comprar 'Cem anos de solidão' do Gabriel Garcia Marquez pelo Clube do Livro...lembra dele?

Luiz Lailo disse...

Macondo? É comigo mesmo. Veja aqui no meu outro blog que está parado.

mara* disse...

preciso reler gabriel garcia marquez, também isabel allende...na foto você falou sobre o canavial, o pé de carambola, os abacateiros e a máquina que seu pai dirigia, e você onde está na foto? família tão diferente da minha...meus pais não admitiam amizade nenhuma, foram anos de solidão, até que consegui fazer dela uma companheira.

beto melodia disse...

olá, mara.
também tive muitos períodos em que a solidão era minha única companheira...

beijos em seu coração.

Anonymous disse...

Fui atrás da Mamma e encontrei este site. Comentários sinceros de gente legal. Gostei. Vou passar de vez em quando por aqui.

mara* disse...

Anônimo: obrigada pela visita, você será sempre bem-vindo com críticas e sugestões. Um abraço.

osmar disse...

Estava dando uma viajada em Mamma através do GFoogle e descobrí teu arsenal, Mara. Parabéns pelo espaço musical - só falta um baixo, uma guitarra, uma batera e uma garrafa de Jack Daniels...rs... Aparecerei mais vezes, um forte abraço meu.

the Osmar

marcia disse...

esta procurando Big Mama e achei o seu site, parabens porque ele é muito bom! Ja adicioneu nos favoritos
abs

mara* disse...

Obrigada Marcia. Seja bemvinda. Beijos

Anonymous disse...

OI, SO GOSTARIA DE INFORMAR QUE O CD The Original Hound Dog (1990) ESTÁ FALTANDO A FAIXA NUMERO 9 DO CD

mara* disse...

OK amigo 'anônimo', link corrigido.

Mari Lee disse...

Este é definitivamente meu site favorito de toda a internet!
Muito obrigada pelo trabalho...

Eu gostaria de fazer um comentário sobre "Big Mama" Thornton, mas só encontro uma palavra: perfeição.
Lamento muito só ter conhecido sua obra recentemente (não consigo parar de ouvir!), e lamento ela ter deixado este mundo no ano em que nasci. Mas sou infinitamente grata pela obra que ela deixou.

mara* disse...

Mari Lee, eu que agradeço a sua gentil visita...realmente não existe outro adjetivo para Big Mama, perfeita. Tenho que inserir mais algumas informações sobre ela...
Um abraço.

Anonymous disse...

Fantástico! Obrigada, obrigada!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...