jamie cullum

jamie cullumJamie Cullum entrou no templo do jazz mundial de calças curtas e tênis All Star e com dois refinados CDs: ‘Twenty something’ e ‘Catching Tales’. É um dos responsáveis pelo renascimento do jazz no velho continente e arrasa em apresentações ao vivo. Como vocalista, canta em um tom de médio porte, com personalidade, que espanta quem vê apenas sua foto nas capas do CD, no entanto, trata seu piano como um instrumento de percussão. Ele surpreende pelo improviso e pela capacidade de trazer elementos do jazz dos anos 50 de Frank Sinatra e King Cole. Jamie Cullum se tornou o mais bem sucedido e o mais vendido artista de jazz contemporâneo na Inglaterra. As suas obras refletem o seu gosto versátil, bem como a sua afeição por rock, pop, hip hop, dance music, drums 'n' bass (um estilo de música eletrônica que originou-se a partir do jungle), jazz, música erudita e dezenas de trilhas sonoras de filmes. Um grande artista, infelizmente pouco conhecido por aqui, e que tornou-se um dos líderes na renovação de um estilo tão nobre. O jazz agradece.

E é o primeiro do gênero a ganhar disco de platina no Reino Unido. Apelidado de ‘galã do jazz’, ‘o David Beckham do jazz’ referência à estrela do futebol Inglês, e ‘Sinatra de tênis’ pela imprensa, a Cullum é creditado a mudança da imagem do jazz através de seu recurso crossover, um termo usado na música para designar duas ou mais aparições em paradas musicais com diferentes gêneros de música; por seu ecletismo e performances emocionantes. A sua base de fãs, é composta por adolescentes e aposentados que muitas vezes não estão familiarizados com o jazz. Ele é saudado com o entusiasmo que normalmente é reservado para estrelas da música pop ou rock. Nascido em Wiltshire, Inglaterra, Cullum cresceu na vila rural de Hullavington, perto da cidade de Malmesbury. Seu pai, John, filho de refugiados judeus que vieram para a Inglaterra da Alemanha, e sua mãe, Yvonne, originária da Birmânia, tinham uma extensa coleção de discos, que serviram como influênca para seus dois filhos. Sua avó materna é uma refugiada judia vinda da Prússia, e cantava nos clubes noturnos de Berlim. Sempre teve muitas histórias para contar para o garoto Jamie, que ficava fascinado com toda aquela ebulição cultural da Alemanha na época da guerra. Até hoje Jamie considera sua avó, seu ‘ícone cultural’, foi ela que lhe ensinou o gosto pela música, pelos palcos e pelo público.



Com oito anos Jamie começou a ter aulas de piano que deixou aos onze anos, depois de ter sido reprovado, e começou a explorar outras formas de arte. As obras dos autores americanos Ernest Hemingway e Jack Kerouac o influenciaram muito. No entanto, aos 13 anos, dois eventos ajudaram a moldar Jamie Cullum como músico: ele ganhou uma guitarra elétrica no seu aniversário, e assistiu o desempenho do cantor de jazz americano Harry Connick Jr. E nesse mesmo tempo, interessou-se pelo gosto musical do seu irmão Ben Cullum ao ouvir o álbum ‘My Generation’ do ‘The Who’ e os pioneiros do metal pesado ‘Iron Maiden’. Aos 16 anos, Jamie começou a tocar com Ben (hoje um artista de gravação, produtor e músico) e começou a levar a música a sério pela primeira vez. Jamie Cullum tornou-se especialmente interessado em bandas do grunge americano, como ‘Nirvana’ e ‘Soundgarden’, e ao mesmo tempo, percebeu que o jazz parecia ser a única forma sofisticada para ganhar a atenção do sexo oposto. Isto, junto com sua introdução aos artistas de jazz como Oscar Peterson, Dave Brubeck, e Art Tatum, reacenderam o seu interesse pelo piano. Descobriu Herbie Hancock e Miles Davis e, mais tarde, despertou interesse por cantores como Frank Sinatra e Ella Fitzgerald. Em 1997, Cullum participou do ‘Glastonbury Festival’, um show de rock ao ar livre, e ficou emocionado com a música do ‘Radiohead’, uma banda de rock progressivo inglês que ele agora considera seu grupo favorito de todos os tempos.

Clint Eastwood and jamie cullumDepois dessa experiência, Cullum decidiu tirar um ano de folga da escola para se dedicar exclusivamente à música. Aos 18 anos foi para Paris, onde aperfeiçoou suas habilidades tocando em bares e clubes de jazz. Ao regressar para a Inglaterra, entrou na ‘Reading University’ onde se formou em literatura inglesa, cinema e teatro. Enquanto estudante, aos 19 anos, gravou seu primeiro álbum, ‘Heard It All Before’, com o ‘Jamie Cullum Trio’ composto por Raphael Mizrahi no baixo e na bateria, Julian Jackson. O sucesso do álbum colocou-o em contato com o baixista de jazz Geoff Gascoyne, que ofereceu a Cullum a oportunidade de tocar em seu álbum ‘Songs of the Summer’. Com o incentivo de Geoff Gascoyne, Jamie Cullum gravou seu segundo álbum, ‘Pointless Nostalgic’, lançado em 2002. E Cullum finalmente assinou com a ‘Universal Records’ e lançou seu terceiro álbum, ‘Twentysomething’, em 2003, seguido por ‘Catching Tales’ e a compilação ‘In the Mind of Jamie Cullum’ em 2005 e 2007, respectivamente. Em 2009, Cullum foi indicado, juntamente com Clint Eastwood para um Globo de Ouro de Melhor Canção Original para sua composição ‘Gran Torino’.

jamie cullum - what a difference a day made


Jamie Cullum - Pointless Nostalgic (2002)    twentysomething (2003)

Pointless Nostalgic (2002)    |    Twentysomething (2003)

Pointless Nostalgic
01. You and the night and the music 02. I can't get started 03. Devil may care 04. You're nobody till somebody loves you 05. Pointless nostalgic 06. In the wee small hours of the morning 07. Well you needn't 08. It aint necessarily so 09. High and dry 10. Too close for comfort 11. A time for love 12. Lookin' good 13. I want to be a popstar

Twentysomething
01. What a Difference a Day Made 02. These Are The Days 03. Singin' In The Rain 04. Twentysomething 05. But For Now 06. Old Devil Moon 07. I Could Have Danced All Night 08. Blame It On My Youth 09. I Get A Kick Out Of You 10. All At Sea 11. Wind Cries Mary 12. Lover, You Should've Come Over 13. It's About Time 14. Next Year, Baby

jamie cullum - Catching Tales (2005)    Jamie Cullum - The Pursuit (2009)

Catching Tales (2005)    |    The Pursuit (2009)

Catching Tales
01. Get Your Way 02. London Skies 03. Photograph 04. I Only Have Eyes For You 05. Nothing I Do 06. Mind Trick 07. 21st Century Kid 08. I'm Glad There Is You 09. Oh God 10. Catch The Sun 11. 7 Days To Change Your Life 12. Our Day Will Come 13. Back To The Ground 14. Fascinating Rhythm 15. My Yard

The Pursuit
01. Just One Of Those Things 02. I'm All Over It 03. Rodas 04. If I Ruled The World 05. You And Me Are Gone 06. Don't Stop Ele Music 07. Love Ain't Gonna Let You Down 08. Mixtape 09. I Think I Love 10. Things We Run 11. Not While I'm Around 12. Music Is Through

jamie cullum - sunday express (2006)

Sunday Express (2006)
volume 1    volume 2

Volume 1
01. It Ain't Necessarily So 02. High and Dry 03. Devil May Care 04. You and the Night the Music 05. The Road Less Travelled 06. In The Wee Small Hours Of The Morning 07. Well You Needn't

Volume 2
01. Can't Get Started 02. You're Nobody Till Somebody Loves You 03. A Time For Love 04. Too Close For Comfort 05. Love Won't let Me Wait 06. Lookin' Good 07. I Want To Be a Popstar

peggy lee

peggy leeQuem ouviu música de boa qualidade a partir dos anos 40, ouviu Peggy Lee, ou Norma Dolores Egstrom. Descendente de noruegueses e suecos, é reconhecidamente a mais sensual das vozes femininas do jazz tradicional e da música popular norte-americana e amplamente reconhecida como uma das mais importantes influências musicais do século 20. Peggy Lee nasceu em Jamestown, Dakota do Norte, em 26 de maio de 1920. Ficou sem pai nem mãe aos 4 anos: a mãe morreu e o pai, que era ferroviário, simplesmente, foi embora. Foi criada por uma madrasta má. Quando estreou na Broadway, com o musical autobiográfico 'Peg', uma das músicas, 'One Beating a Day', falava desse tempo em termos brutais. A cantora teve e tem seu fã-clube, entre jazzófilos, mas poucos de seus discos mereceram edição brasileira. Sempre houve quantidade de Ella Fitzgerald e Sarah Vaughan, as jazz singers emblemáticas, embora nenhuma das duas gostasse de ser chamada de cantora de jazz. Sempre houve Billie Holiday ou Dinah Washington, ou mesmo Nina Simone ou Betty Carter. Mas quase nada de Peggy Lee. Talvez porque para entender, perceber, sentir o efeito de seu canto, seja necessário compreender por que uma sílaba é pronunciada com determinado grau de suavidade ou por que certa frase é cortada e outra estendida. Peggy Lee não era cantora de maneirismos, mas de sutilezas. Como atriz, ela foi nomeada para um Oscar por seu papel em 'Pete Kelly's Blues'.

peggy lee

peggy lee - fever


The Best of Peggy Lee (1997)

The Best of Peggy Lee (1997)

Tracklist
01. Why Don't You Do Right? 02. For Every Man There's a Woman 03. Fever 04. Alright, Okay, You Win 05. Blue Prelude 06. Hallelujah, I Love Him So! 07. Just for a Thrill 08. Goin' to Chicago 09. I'm a Woman 10. See See Rider 11. You Don't Know 12. Call Me 13. Whisper Not 14. The Thrill Is Gone (From Yesterday's Kiss) 15. Seventh Son 16. Please Send Me Someone to Love 17. Mama's Gone, Goodbye 18. I'm Gonna Go Fishin'

fever (1998)

Fever (1998)

Tracklist
01. Fever 02. Manana 03. Lets Do It (Lets Fall In Love) 04. Stormy Weather 05. Summertime 06. Them There Eyes 07. That Old Feeling 08. Golden Earrings 09. There'll Be Some Changes Made 10. Somebody Loves Me 11. If I Could be with you one hour tonight 12. Where Or When 13. On The Sunny Side Of The Street 14. Happiness Is A Thing Called Joe 15. 'Deed I Do 16. The Way You Look Tonight 17. Why Don't You Do Right 18. My Old Flame 19. It's All Over Now 20. You Can Depend On Me 21. You Was 22. Everything I Love 23. Bye Bye Blues 24. Chi-Baba Chi-Baba

living chicago blues

O ‘Delta Blues’ é o começo de tudo o que iria ser categorizado como blues, a música era usada como canto de louvor religioso dentro de igrejas e também em bares e prostíbulos da época. O ‘Chicago Blues’ faz parte do inicio da eletrificação do blues e descende direto do ‘Delta blues’. Isso ocorreu por volta da década de 40 devido à migração dos artistas do Delta do Mississipi para Chicago, eles saíram da zona rural e foram para as grandes cidades em busca de oportunidades e acabaram criando ali uma nova vertente do blues com características e estilo próprios. O ‘Chicago Blues’ caracterizou-se pela adição de bateria, piano, baixo e mais tarde pela adição de instrumentos de sopro (saxofone, trompete, etc.), isso tudo devido à possibilidade de uso da energia elétrica das grandes cidades. Deu-se assim o inicio das famosas ‘big bands’ de Chicago, tendo o ‘Chicago Blues’ influenciado toda a música da época e outros estilos de blues que viriam depois.

Living Chicago Blues Series (1978) vol. 1

Living Chicago Blues (1978)
(volume 1)

Tracklist
01. Jimmy Johnson Blues Band - Your Turn To Cry
02. Jimmy Johnson Blues Band - Serves Me Right To Suffer
03. Jimmy Johnson Blues Band - Ain't That Just Like A Woman
04. Jimmy Johnson Blues Band - Feel Like Breaking Up Somebody's Home
05. Eddie Shaw And The Wolf Gang - It's Alright
06. Eddie Shaw And The Wolf Gang - Out Of Bad Luck
07. Eddie Shaw And The Wolf Gang - Stoop Down, Baby
08. Eddie Shaw And The Wolf Gang - Sitting On Top Of The World
09. Eddie Shaw And The Wolf Gang - My Baby's So Ugly
10. Left Hand Frank and His Blues Band - Come Home, Darling
11. Left Hand Frank and His Blues Band - Blues Won't Let Me Be
12. Left Hand Frank and His Blues Band - One Room Country Shack
13. Left Hand Frank and His Blues Band - Linda Lu
14. Carey Bell's Blues Harp Band - Too Late
15. Carey Bell's Blues Harp Band - Laundromat Blues
16. Carey Bell's Blues Harp Band - One Day
17. Carey Bell's Blues Harp Band - Woman In Trouble

Living Chicago Blues Series (1978) vol. 2

Living Chicago Blues (1978)
(volume 2)

Tracklist
01. The Lonnie Brooks Blues Band - Don't Answer The Door
02. The Lonnie Brooks Blues Band - Two Headed Man
03. The Lonnie Brooks Blues Band - Cold, Lonely Nights
04. The Lonnie Brooks Blues Band - Move Over, Little Dog
05. Johnny 'Big Moose' Walker - Would You, Baby?
06. Johnny 'Big Moose' Walker - Worry, Worry
07. Johnny 'Big Moose' Walker - Sunnyland Blues
08. Johnny 'Big Moose' Walker - Cry, Cry Darling
09. Magic Slim And The Teardrops - Stranded On The Highway
10. Magic Slim And The Teardrops - Dirty Mother For You
11. Magic Slim And The Teardrops - Spider In My Stew
12. Magic Slim And The Teardrops - Don't Say That No More
13. Pinetop Perkins - Take It Easy, Baby
14. Pinetop Perkins - Blues After Hours
15. Pinetop Perkins - Little Angel Child
16. Pinetop Perkins - How Much More Long

Living Chicago Blues Series (1980) vol. 3

Living Chicago Blues (1980)
(volume 3)

Tracklist
01. A.C. Reed And The Spark Plugs - Hard Times
02. A.C. Reed And The Spark Plugs - She's Fine
03. A.C. Reed And The Spark Plugs - Moving Out Of The Ghetto
04. A.C. Reed And The Spark Plugs - Going To New York
05. Scotty And The Rib Tips - Big Leg Woman
06. Scotty And The Rib Tips - Careless With Our Love
07. Scotty And The Rib Tips - Road Block
08. Scotty And The Rib Tips - Poison Ivy
09. Lovie Lee With Carey Bell - I Dare You
10. Lovie Lee With Carey Bell - Nobody Knows My Troubles
11. Lovie Lee With Carey Bell - Sweet Little Girl
12. Lovie Lee With Carey Bell - Naptown
13. Lacy Gibson - Drown In My Own Tears
14. Lacy Gibson - Crying For My Baby
15. Lacy Gibson - Feel So Bad
16. Lacy Gibson - Wish Me Well
17. The Sons Of Blues - Have You Ever Loved A Woman
18. The Sons Of Blues - Berlin Wall
19. The Sons Of Blues - Prisoner Of The Blues

Living Chicago Blues Series (1980) vol. 4

Living Chicago Blues (1980)
(volume 4)

Tracklist
01. Detroit Junior - If I Hadn't Been High
02. Detroit Junior - Some Nerve
03. Detroit Junior - Somebody To Shack
04. Detroit Junior - I Got Money
05. Luther 'Guitar Junior' Johnson - Somebody Have Mercy
06. Luther 'Guitar Junior' Johnson - Got To Have Money
07. Luther 'Guitar Junior' Johnson - Just Like Mama Said
08. Luther 'Guitar Junior' Johnson - Look What You Done
09. Queen Sylvia Embry - Going Upstairs
10. Queen Sylvia Embry - Blues This Morning
11. Queen Sylvia Embry - Tired Of Being Pushed Around
12. Queen Sylvia Embry - Please Let Me Stay
13. Big Leon Brooks' Blues Harp Band - Blues For A Real Man
14. Big Leon Brooks' Blues Harp Band - Thirteen Years In Prison
15. Big Leon Brooks' Blues Harp Band - Country Boy
16. Big Leon Brooks' Blues Harp Band - My Life Ain't The Same
17. Andrew Brown - I Got News For You -
18. Andrew Brown - Morning, Noon and Night
19. Andrew Brown - Two Years

alex fox

alex foxAlex Fox é um violonista nascido e criado em Buenos Aires, onde recebeu uma educação musical de grandes mestres argentinos e mais tarde agraciado com uma bolsa para tocar com o diretor do Teatro Colon Symphony Orchestra nos EUA completou assim seus estudos e dando início a sua carreira como maestro, professor e compositor. Estabeleceu-se como diretor de circo e artista independente em South Beach, uma das localizações mais populares de Miami.

Inspirado por uma vasta gama de artistas que vão dos ‘Beatles’ aos ‘Gipsy Kings’ é um violonista que aperfeiçoou um estilo próprio, que mistura com talento, música flamenca, clássica, rumba, e ritmos mediterrânicos. Seu primeiro álbum 'To the gypsies' foi sucesso comercial e de crítica em todo o mundo. Em eventos privados e beneficentes tocou para os presidentes Clinton, do Líbano, da Turquia, e também para o designer italiano Versace, para o príncipe Rainier de Mônaco e muitas outras figuras públicas. Mas, de longe a maior conquista de Alex Fox foi a de continuar a ser um bom artista independente, e criar a sua própria gravadora: Alex Fox Productions Inc. Com seus filhos David e Sebastian, jovens músicos talentosos ele formou o ‘Trio Fox’. Sebastian Fox com sua guitarra clássica teve a honra de tocar com Luciano Pavarotti. Com o grupo, Alex Fox continua a participar de eventos privados, beneficentes e concertos por todo o mundo.

alex fox - to the gypsies


alex fox - guitar on fire (1999)    Alex Fox - To the Gypsies (2000)

Guitar on Fire (1999)    |    To the Gypsies (2000)

Guitar on fire (1999)
01. To The Gypsies 02. Maragarita 03. Nuevos Aires 04. Guitar On Fire 05. David & Sebastian 06. Baila Bailaora 07. Eyes Of Elvira 08. Liza Luna 09. Historia De Un Amor 10. To Paco De Lucia 11. Te Amo Cuanda Bailas 12. Morena Morena 13. Rumba Disco 14. Guitar On Fire (Latin Disco)

To the Gypsies (2000)
01. To The Gypsies 02. Maragarita 03. Nuevos Aires 04. Guitar On Fire 05. David & Sebastian 06. Baila Bailaora 07. Eyes Of Elvira 08. Liza Luna 09. Historia De Un Amor 10. To Paco De Lucia 11. Te Amo Cuanda Bailas 12. Morena Morena 13. Rumba Disco 14. Guitar On Fire (Latin Disco)

mighty sam mcclain

mighty sam mcclainMighty Sam McClain é um internacionalmente aclamado cantor de soul-blues, um dos melhores, de espantosa profundidade. Nascido em Monroe, Louisiana, em 1943, aos cinco anos começou a cantar com sua mãe no coro da igreja evangélica, o que o fez sentir que era alguém. Com treze anos deixou sua casa para fugir dos tempos difíceis de abuso e alcoolismo do seu padrasto, que dizia que ele não era nada e nunca seria qualquer coisa, e seguiu o guitarrista Little Melvin Underwood que se tornou seu mentor, e que mais tarde, promoveu o jovem adolescente à vocalista da sua banda. Enquanto ele cantava no Clube 506 na Flórida, foi apresentado ao produtor e DJ, ‘Papa Don’ Schroeder e em 1966, Sam gravou ‘Patsy Cline Sweet Dreams’, seu primeiro sucesso real. Pouco depois, foi convidado a gravar seu primeiro disco, e teve algum sucesso que acabou prematuramente e sua carreira foi transformada em nada. Movendo-se de Nashville a Nova Orleans em anos sucessivos, fazendo trabalhos braçais, dormindo ao ar livre, comendo em latas de lixo e vendendo o seu sangue para sobreviver não sucumbiu ao fracasso e continuou a cantar. Em 1989, o grupo de soul e r&b ‘The Neville Brothers’ ofereceu a McClain algum trabalho e foi fundamental para dar-lhe uma base para renascer. Inesperadamente ele foi contatado para uma visita ao Japão que incluiu uma gravação ao vivo o que foi um salto para reiniciar sua carreira. McClain estava revivendo seu sonho musical. Um convite para estar em um projeto do guitarrista de blues Hubert Sumlin no início dos anos 90 aumentou a sua visibilidade.

mighty sam mcclain - new man in town


Mighty Sam McClain - journey (1998)    Mighty Sam McClain - Soul Survivor (1999)    Mighty Sam McClain - papa true love (2000)

Journey (1998)     |    Soul Survivor (1999)     |    Papa True Love (2000)

Journey (1998)
Tracklist: 01. I'm a Man 02. Thank You 03. Change Is Gonna Come 04. New Man In Town 05. No More Tears 06. Mr. So & So 07. Time Is Running Out 08. I'm Yours 09. Other Side Of The Tracks 10. Prove It To Me 11. Hanging On The Cross 12. Somebody Help Me

Soul Survivor (1999)
Tracklist: 01. Too Proud 02. Can You Stand the Test of Love 03. Who Made You Cry? 04. New Man in Town 05. What Do You Want Me to Do? 06. Where You Been So Long? 07. Honey Chile [#] 08. Here I Go Falling in Love Again 09. Lord Will Make a Way 10. Hanging on the Cross (Between Heaven and the Blues) 11. I'm Gonna Love You 12. When the Hurt Is Over (Maybe Love Will Flow) 13. Give It Up to Love

Papa True Love (2000)
Tracklist: 01. Fannie Mae 02. Baby Come on Home 03. Georgia Pines 04. In the Same Old Way 05. I Need a Lot of Lovin' 06. I'm a Man 07. Nothing But the Truth 08. Silent Tears 09. Sweet Dreams 10. Good Humor Man 11. Just Like Old Times 12. Talk to Me, Talk to Me 13. Bad Mouthin' 14. Stranger to Me 15. I (Who Have Nothing) 16. Papa True Love 17. I Just Came to Get My Baby (Out of Jail) 18. When She Touches Me (Nothing Else Matters)

tito madi

tito madiTito Madi é paulista da cidade Pirajuí. Não tem nem sotaque e se acomodou no Rio tão naturalmente quanto em qualquer lugar que escolhesse. Filho de chacareiro libanês desistiu de jogar futebol quando viu que podia tirar músicas do violão. Começou a interessar-se por música por influência do pai, tocador de alaúde, e dos irmãos, que tocavam violão e bandolim.Sua carreira foi rápida. Em 1957, cantando em boates, estourou um dos seus sucessos, ‘Chove lá fora’. Nessa época, graças à harmonia moderna de suas composições, juntamente com Tom Jobim, Johnny Alf, Dick Farney e Lúcio Alves, abriu as portas para a bossa nova. Tito, que na verdade chama-se Chauki Maddi, já era um dos grandes cantores e compositores brasileiros antes de 1960, foi um dos primeiros artistas a cantar samba de maneira mais cadenciada. Quando ‘The Platters’ esteve no Rio se entusiasmou com as músicas de Tito, mas este se recusou a assinar um contrato para uma temporada de seis meses com eles para abrir o show que começaria em Bruxelas e acabaria no Olympia, em Paris. Ficou com medo e permaneceu no que nessa época era mesmo o lugar mais lindo do mundo: Copacabana.

tito madi - balanço zona sul


Tito Madi – A Fossa Vol. 1 (1971)    Tito Madi – A Fossa Vol. 2 (1972)

Tito Madi – A Fossa Vol. 3 (1973)    Tito Madi – A Fossa Vol. 4 (1974)

A Fossa
volume 1    volume 2    volume 3    volume 4

A Fossa Vol. 1
01. Apelo 02. Pra Dizer Adeus 03. Canção da Volta 04. Cansei de Ilusões 05. De Onde Vens 06. Chuvas de Verão 07. Sonho e Saudade 08. Esquecendo Você 09. Pra Você 10. Eu e a Brisa 11. Fiz do Amor Meu Canto 12. Reverso - Se o Tempo Entendesse - Sucedeu Assim

A Fossa Vol. 2
01. Chove lá Fora 02. Minha 03. Por Causa de Você 04. Alguém Como Tu 05 - Coração Vagabundo 06. Pra Machucar Meu Coração 07. Eu Sei Que Vou Te Amar 08. Neste Mesmo Lugar 09. Vem Hoje 10. Por Favor Ligue a Vitrola 11. Molambo 12. Chove Outra Vez - E a Chuva Parou

A Fossa Vol. 3
01. Canto Triste 02. Duas Contas 03. Atrás da Porta 04. Quero-te Assim 05. Encontro Com a Saudade 06. Se Eu Tiver 07. Graças a Deus Você Voltou 08. Fossa Vol 3 09. Manias 10. Demais 11. Canção dos Olhos Tristes 12. Modinha 13. Siga

A Fossa Vol. 4
01. Canção de Amor 02. Até Quem Sabe 03. Maria 04. Pede Passagem 05. Nada Mais Lindo 06. Sangue Latino 07. Suas Mãos 08. Foi Ela 09. Valsa de Uma Cidade 10. Canto Puro Amor 11. Samba Canção Antigo 12. Vem é Primavera

dois na fossa (1975)

Dois na Fossa (1975)
(Maysa & Tito Madi)

Tracklist
01. Fantasia de Trombones (Demais, Meu Mundo Caiu, Preciso Aprender A Ser Só) 02. Helena, Helena, Helena 03. Ne me Quite Pas 04. A Mesma História Antiga 05. Canção Sem Título 06. Sem Ter Que Chorar 07. Primavera, Eurídice, Canção do Amanhecer 08. Franqueza 09. Just In Time 10. Chove Outra Vez 11. Morrer de Amor 12. Lindo

Tito Madi – Na Intimidade (1985)

Na Intimidade (1985)

Tracklist
01. Neste mesmo lugar 02. Duas contas 03. Não diga não 04. Cansei de ilusões 05. Balanço Zona Sul 06. Molambo 07. Gauchinha bem querer 08. Ternura antiga 09. Mulher 10. Sonho e saudade 11. Ligia 12. Chove lá fora

maria callas

maria callasMaria Callas, a mais célebre cantora lírica da segunda metade do século 20, morreu há 32 anos, mas ainda continua na lembrança dos amantes da ópera. Dona de uma voz de amplitude rara e habilidade cênica inigualáveis, considerada a maior cantora lírica de todos os tempos, Maria Callas atuou em óperas dos mais diversos estilos. A soprano nasceu em Nova York. Filha de pais imigrados da Grécia, batizada Maria Kalogeropoulos, transformou-se em Maria Callas. Sua carreira teve um impulso decisivo após o seu casamento com Giovanni Battista Meneghini, trinta anos mais velho que ela, um sujeito muito rico e apaixonado por ela que passou a ser seu empresário além de marido. Fenômeno vocal a soprano destacou-se interpretando ‘Lucia’ (Donizetti) a ‘Isolda’ (Wagner) e ainda ‘Carmem’ (Bizet), e sua voz encarnou como ninguém ‘La Traviata’ de Verdi, com aplausos ovacionados e criticas a sua personalidade difícil.

maria callasTrágica no palco e na vida, dona de uma personalidade carismática e polêmica, revolucionou o mundo da ópera, da música e do teatro com seu temperamento e com suas atitudes polêmicas. O mito Callas teve também aspectos menos musicais, especialmente o romance e a paixão avassaladora pelo empresário grego Aristóteles Onassis nos anos 60, que foi sua maior alegria e também a sua maior desgraça. O declínio da carreira, com seus episódios constrangedores. Os seus desafetos, suas paixões, a solidão, a depressão, o casamento de Onassis com Jackeline Kennedy. No terreno profissional, a polêmica disputa com Renata Telbandi. Após ensinar música na famosa ‘Juilliard School’, de Nova York, a cantora lírica voltou a se apresentar para o grande público em 1974, em uma série de shows especiais. Ao final da temporada recolheu-se em seu apartamento de Paris, a morte de Onassis foi sem dúvida o golpe final em sua vida até sua triste morte sozinha em seu apartamento de Paris em 1977, aos 53 anos. Atendendo ao seu desejo, suas cinzas foram jogadas no Mar Egeu.


maria callas - madama butterfly


maria callas - la divina 1

La Divina 1 (1993)

Tracklist
01. Madama Butterfly: Un bel di, vedremo
02. Carmen: L'amour est un oiseau rebelle (Habanera)
03. La Wally: Ebben? ne andro lontana)
04. Il Barbiere di Siviglia: Una voce poco fa
05. Norma: Casta Diva
06. Samson et Dalila: Mon coeur s'ouvre a ta voix
07. Rigoletto: Caro nome
08. La Traviata: Sempre libera
09. Romeo et Juliette: Je veux vivre dans ce reve
10. La Boheme: Si, mi chiamano Mimi
11. Don Giovanni: Mi tradi quell'alma ingrata
12. Cavalleria Rusticana: Voi lo sapete, o mamma
13. La Gioconda: Suicidio!
14. Gianni Schicchi1: O mio babbino caro
15. Turandot: In questa reggia
16. Tosca: Vissi d'arte, vissi d'amore

maria callas - la divina 2

La Divina 2 (1994)

Tracklist
01. Alceste: Divinites du Styx
02. Carmen: Les tringles des sistres tintaient
03. Ernani: Surta e la notte...Ernani! Ernani, involami
04. Manon Lescaut: In quelle trine morbide
05. Aida: Ritorna vincitor
06. Orphee et Eurydice: J'ai perdu mon Eurydice
07. I vespri siciliana: Bolero: Merce, dilette amiche
08. Louise: Depuis le jour
09. La Boheme: Donde lieta usci
10. Mignon: Ah, pour ce soir...Je suis Titania
11. La Traviata: Teneste la promessa...Addio, del passato
12. Don Carlo: O don fatale
13. Samson et Dalila: Printemps qui commence
14. La Sonnambula: Compagne, teneri amici...Come per me sereno
15. Adriana Lecouvreur: Ecco: respiro appena...Io son 'lumile ancella
16. Lucia di Lammermoor: Spargi d'amaro pianto

maria callas - la divina 3

La Divina 3 (1995)

Tracklist
01. Andrea Chénier - La Mamma Morta
02. La Vestale - O Nume Tutelar
03. Manon - Je Ne Suis Que Faiblesse, Adieu, Notre Petite Tabl
04. Manon Lescaut - Oh, saró la più bella....Tu, tu amore
05. Carmen - Prés Des Remparts De Séville (Séguedille)
06. Il barbiere di Siviglia - Dunque Io Son
07. Lakmé - Dov' è l'indiana bruna
08. Aida - Qui Radamès Verrà!...O Patria Mia
09. La bohème - O soave fanciulla
10. Turandot - Signore, Ascolta!
11. I Pagliacci - Qual fiamma avea nel guardo...Hui! Stridono Lassù
12. Il Trovatore - D'Amor Sull'Ali Rosee
13. Madama Butterfly - Vogliatemi bene, un bene piccolino
14. Dinorah (Le pardon de Ploërmel) - Ombra leggiera (Shadow Song)

little charlie & the nightcats

little charlie & the nightcatsRick Estrin iniciou-se na gaita nos anos 60, aos 18 anos já se apresentava nas melhores casas de San Francisco, onde começou a trabalhar com Rodger Collins, com quem aprendeu os segredos do show business. Aos vinte anos Rick mudou-se para Chicago, e começou a fazer turnês com os maiores nomes do blues. Após anos em turnês pelos EUA, Rick juntou suas forças com o guitarrista Charlie Baty, que frequentava a universidade de matemática, para formar 'Little Charlie and The Nightcats’, em 1976, considerada a banda de ‘jump blues’ mais bem sucedida dos EUA. Inicialmente, ambos tocavam gaita e cantavam, mas Baty passou a tocar guitarra, convidaram então, Dobie Strange para a bateria e Jay Peterson para o baixo. Depois de anos tocando blues em clubes locais, os ‘Little Charlie and The Nightcats’ lançaram o primeiro álbum, ‘All the Way Crazy’, em 1987. Em 1990, o grupo teve sua primeira mudança pessoal, Jay Peterson partiu e foi substituído por Brad Lee Sexton que partiu em 1994, e Ronnie James Weber juntou-se como terceiro baixista da banda, no ano seguinte. O baterista original Dobie Strange saiu em 1996 depois de 20 anos com o grupo, e seu lugar foi tomado por June Core. ‘Little Charlie & the Nightcats’ retornou em 2002 com o baixista Frankie Randall e o baterista Joey Ventittelli e em 2005, com mais uma nova seção rítmica, desta vez com J. Hansen na bateria e Lorenzo Farrell no baixo.

little charlie & the nightcats

Little Charlie Baty & Rick Estrin

Embora o guitarrista 'Little' Charlie Baty seja o líder do grupo, o frontman é Estrin, é ele quem canta e compõe a maioria das músicas, além de tocar. Performático, capricha no visual, composto por topete, bigode e óculos ‘Clark Kent’. Para ele o visual e a presença de palco são importantes para um artista, e as pessoas não saem de casa para ver gente que se parece com elas próprias. Elas querem ver algo especial. Rick Estrin não é apenas um excelente gaitista, mas um artista completo, excelente cantor e um brilhante compositor, e é considerado um dos grandes bluesmen de sua geração. Compõe com a sofisticação de muito poucos no blues. Suas letras são bastante originais, muitas delas divertidas. ‘Little Charlie And The Nightcats’, está entre as mais ativas e reconhecidas bandas de blues em todo mundo e Rick Estrin, um ícone desse estilo musical, tem a capacidade de estender seu domínio musical às fronteiras do jazz.

little charlie & the nightcats - never trust a woman



little charlie - All the Way Crazy (1987)    little charlie - Disturbing the peace (1988)

All the Way Crazy (1987)    |    Disturbing the peace (1988)

All the Way Crazy
01. T. V. Crazy 02. Right Around The Corner 03. Clothes Line 04. Living Hand To Mouth 05. Suicide Blues 06. Poor Tarzan 07. When Girls Do It 08. Eyes Like A Cat 09. I'll Take You Back 10. Short Skirt

Disturbing the Peace
01. That's My Girl 02. Nervous 03. My Money's Green 04. If This Is Love 05. I Ain't Lyin' 06. She's Talking 07. My Last Meal 08. Booty Song, The 09. Don't Boss Me 10. V-8 Ford 11. I Feel So Sorry 12. Run Me Down

little charlie - The Big Break (1989)    little charlie - Night Vision (1993)

The Big Break (1989)    |    Night Vision (1993)

The Big Break
01. The Big Break 02. Don't Do It 03. Dump That Chump 04. I Beg Your Pardon 05. Kansas City Woman 06. Hurry Up And Wait 07. That's O. K. 08. Jump Start 09. Side Stuff 10. Some Nerve 11. Lottery 12. Me And Miss Ann

Night Vision
01. My Next Ex-Wife 02. I'll Never Do That No More 03. You Win 04. Sure Seems Strange 05. Can't Keep It Up 06. Dog Eat Dog 07. I Dare You Baby 08. Crying Won't Help You 09. Grow Up Baby 10. California On My Mind 11. Backfire 12. Pressin' On 13. Buzzsaw

Little Charlie & The Nightcats - Shadow of the Blues (1998)    Little Charlie & The Nightcats - That's Big (2002)

Shadow of the Blues (1998)     |    That's Big (2002)

Shadow of the Blues
01. Never Trust a Woman 02. New Old Lady 03. When Your Woman Is Gone 04. You Got Your Hooks in Me 05. Big and Fat 06. You Don't Love Me That Way 07. Walkin' in the Shadow of the Blues 08. Got It Good 09. Dirty Dealin' Mama 10. Percolatin' 11. I Don't Drink Much 12. Murmur Low 13. You Got to Rock

That's Big
01. Real Love 02. Weekend Off 03. Desperate Man 04. Livin' Good 05. That's Big 06. Bluto's Back 07. I'll Never Cross Your Mind 08. I Know She Used to Be Your Woman 09. Money Must Think I'm Dead [#2] 10. Coastin' Hank 11. It Better Get Better 12. Bayview Jump 13. Steady Rollin' Man 14. Go on If You're Goin'

Little Charlie & The Nightcats - Nine Lives (2005)    Little Charlie & The Nightcats - Straight Up! (1995)

Nine Lives (2005)     |    Straight Up! (1995)

Nine Lives
01. I Could Deal With It 02. I Can't Speak No Spanish (No Hablo Espanol) 03. I'm Just Lucky That Way 04. Turn My Back On You 05. Me And My Big Mouth 06. You Gonna Lie 07. Hey Gold Digger 08. Homicide 09. Close Together 10. Gerontology 11. Playboy Blues 12. Is That It 13. On The Loose 14. My Way Or The Highway

Straight Up!
01. I Could Deal With It 02. I Can't Speak No Spanish (No Hablo Espanol) 03. I'm Just Lucky That Way 04. Turn My Back On You 05. Me And My Big Mouth 06. You Gonna Lie 07. Hey Gold Digger 08. Homicide 09. Close Together 10. Gerontology 11. Playboy Blues 12. Is That It 13. On The Loose 14. My Way Or The Highway

viktoria tolstoy

viktoria tolstoyViktoria Tolstoy é uma excelente cantora sueca de jazz, na verdade, seu nome é Louise Viktoria Ekjellberg, Tolstoy aparece somente no seu nome artístico. Filha de Erik Kjellberg e bisneta do grande escritor russo Leo Tolstoy, Viktoria é reconhecida internacionalmente no meio jazzístico e é muito requisitada para shows e turnês em países como o Japão, Malásia, Reino Unido, Escandinávia, Alemanha, Suíça, África do Sul, Itália, Espanha, México, para citar alguns. Em 1994, aos 19 anos gravou o seu primeiro álbum ‘Smile, Love and Spices’, e sua grande inspiração foi seu pai, professor de música da Universidade de Uppsala, que também escreveu algumas canções. ‘Shining On You’ de 2004, é um excelente álbum, de alta qualidade, as músicas foram escritas pelo pianista e compositor sueco Esbjörn Svensson, um dos maiores músicos de jazz da Europa e que morreu, aos 44 anos, durante um mergulho no mar Báltico. ‘My Swedish Heart’ de 2005, é uma viagem através da música folk sueca e jazz. Há muitos anos, Viktoria procurava explorar as suas raízes musicais russas, em ‘My Russian Soul’, álbum de 2008, Viktoria mostra a alma de seus antepassados, cantando músicas do folclore russo como a 'Little Pretty', versão da 'Canção dos Barqueiros do Volga'.

viktoria tolstoy

viktoria tolstoy - upside out


Viktoria Tolstoy - Shining On You (2004)

Shining On You (2004)

Tracklist
01. Upside Out 02. Shining on You 03. Summer Calling 04. Love Is Real 05. Equilibrium 06. Wake Up Song 07. No Regrets 08. Waltz for the Lonely Ones 09. Some Day 10. Wonder Why 11. Things That Happen 12. Foreverly

Viktoria Tolstoy - My Swedish Heart (2005)

My Swedish Heart (2005)

Tracklist
01. Grandmas Song 02. Mind If I 03. From Above 04. Dialogue 05. You Gave Me The Flow 06. Den Första Gång 07. Dannys Dreaming 08. The Morning Of You 09. Mayday 10. I Hope It’s Spring For You 11. Jag Yet En Dejlig Rosa

viktoria tolstoy - pictures of me (2006)

Pictures of Me (2006)

Tracklist
01. Woman Of Santiago 02. Have A Good Day 03. South 04. Te Amo Corazon 05. Two Sails 06. Kiss That Dog 07. Absentee 08. Strolin 09. Donґt Make Me Wait 10. Can't Help It 11. Green Little Butterfly 12. The Way Young Lovers Do 13. Old And Wise

Viktoria Tolstoy - My Russian Soul (2008)

My Russian Soul (2008)

Tracklist
01. Home 02. Word By Word 03. The Curtain Falls 04. Little Pretty 05. Our Stories 06. Stranger In Paradise 07. You Can’t Go Home Again 08. Silent Rhapsody 09. Although You’re Gone 10. Our Man 11. No News 12. Aftermath

viktoria tolstoy - letters to herbie (2011)

Letters to Herbie (2011)

Tracklist
01. Trust Me 02. Textures 03. I Thought It Was You 04. Chan’s Song 05. Butterfly 06. Come Running To Me 07. Give It All Your Heart 08. Letter To Herbie 09. Paradise 10. Chemical Residue 11. Tell Me A Bedtime Story 12. Naima 13. Come On, Come Over

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...