the smiths

the smithsO cenário musical do pós-punk inglês dos anos 80 estava corroído por diversas bandas de pop comercial, que se multiplicavam através das rádios com seus hits descartáveis e letras sem sentido. Em 1982, John Martin Maher (Johnny Marr) um brilhante guitarrista de descendência irlandesa, nascido em Manchester na Inglaterra, e que trabalhava numa loja de roupas, procurava por outras pessoas para montar uma banda. A velha cidade estava decadente e o desemprego era grande entre a população operária. Foi neste contexto de decadência e de insignificância musical que surgiu ‘The Smiths’ que unia a harmonia de uma guitarra, uma voz inconfundível, com letras que falavam, com humor ácido, de política ou com extrema sensibilidade sobre os conflitos da alma. A banda durou cinco anos, mas continua a influenciar até hoje.

Desde os tempos da escola, Johnny Marr tocava guitarra com seu amigo de infância Andy Rourke (baixista) em várias bandas que tocavam o rock norte americano. Após algumas tentativas frustradas para encontrar um cantor, John lembrou-se de Steven Patrick Morrissey, que havia encontrado num show quando tinha apenas 15 anos, e que escrevia letras incomuns. Morrissey que assim como Maher, era de descendência irlandesa e nascido em Manchester vivia mergulhado em livros de Oscar Wilde e filmes de James Dean. Encontrado o cantor, chamaram Mike Joyce um baterista de 19 anos, e Andy Rourke para substituir Dale Hibbert. John Maher mudou seu nome para Johnny Marr e Morrissey escolheu o nome da banda. 'Smith' é o sobrenome mais comum na Inglaterra, e o objetivo era mostrar que a banda era formada de pessoas comuns e também serviu como uma corrosiva crítica para os grupos que tinham títulos complicados e pomposos, mas que nada tinham para dizer. Morrissey adotava uma postura antiestrelato e a tarefa foi a de escolher o mais ordinário dos nomes e ainda assim produzir algo de mérito artístico e, foi exatamente isto o que eles fizeram.

the smiths

Morrissey (vocais, letras), Johnny Marr (guitarra, teclado, baixo), Mike Joyce (bateria), Andy Rourke (baixo)

A banda se destacava pela voz inimitável de Morrissey e seu lirismo, arranjo simples das guitarras de Marr e um baixo e bateria com muita energia. O primeiro single que realmente fez sucesso foi ‘Hand in Glove’ de 1983, que começou a tocar nas rádios britânicas. ‘This Charming Man’ foi o single seguinte. O primeiro álbum surgiu em 1984 intitulado ‘The Smiths’. No mesmo ano lançam ‘Hatful of Hollow’. Em 1985 ‘Meat is Murder’, com clara defesa ao vegetarianismo e ‘The Queen is Dead’ com dura crítica ao governo britânico. Nessa época Andy Rourke foi substituído por estar envolvido com drogas, mas logo retornou à banda. A banda terminou em 1987 quando Johnny Marr decidiu sair e junto com ele ‘The Smiths’ chegou ao fim. Marr tocou com muitas bandas e Morrissey não encontrou alternativa a não ser seguir uma bem sucedida carreira solo. Mas nenhum dos dois, conseguiu o mesmo brilho e genialidade que tinham nos ‘Smiths’. Andy Rourke e Mike Joyce tocaram algumas músicas com Morrissey, porém, brigas por direitos autorais na justiça separaram ainda mais os membros da banda.‘The Smiths’ era especial pela união perfeita de letras e músicas de Morrissey e Marr. Morrissey, que além de expressar os conflitos de sua alma, revelava-se um homem consciente, não poupando criticas e sarcasmo a política britânica e à família real, e Johnny Marr marcava o seu estilo com arranjos harmônicos de guitarra e sem apelações. Como diz a letra de uma de suas musicas, ‘The Smiths’ é uma luz que nunca se apaga.

the smiths - the sound of (2008)

The Sound of (2008)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. Hand In Glove 02. This Charming Man 03. What Difference Does It Make(Peel Session Version) 04. Still III 05. Heaven Knows I’m Miserable Now 06. William, It Was Really Nothing 07. How Soon Is Now? 08. Nowhere Fast 09. Shakespeare’s Sister 10. Barbarism Begins At Home 11. That Joke Isn’t Funny Anymore 12. The Headmaster Ritual 13. The Boy With The Thorn In His Side 14. Bigmouth Strikes Again 15. There Is A Light That Never Goes Out 16. Panic 17. Ask 18. You Just Haven’t Earned It Yet Baby 19. Shoplifters Of The World Unite 20. Sheila Take A Bow 21. Girlfriend In A Coma 22. I Started Something I Couldn’t Finish 23. Last Night I Dreamt That Somebody Loved Me

Tracklist CD 2
01. Jeane 02. Handsome Devil (Live) 03. This Charming Man (New York vocal) 04. Wonderful Woman 05. Back To The Old House 06. These Things Take Time 07. Girl Afraid 08. Please, Please Please Let Me Get What I Want 09. Stretch Out And Wait 10. Oscillate Wildly 11. Meat Is Murder (Live in Oxford) 12. Asleep 13. Money Changes Everything 14. The Queen Is Dead 15. Vicar In A Tutu 16. Cemetery Gates 17. Half A Person 18. Sweet And Tender Hooligan 19. Pretty Girls Make Graves(Troy Tate version) 20. Stop Me If You Think You’ve Heard This One Before 21. What’s The World (Live in Glasgow) 22. London (Live in London)

the smiths - how soon is now



the animals

the animals‘The Animals’ foi uma banda inglesa dos anos 60 que ao lado de ‘Rolling Stones’, tornou-se um dos principais nomes da ‘British Invasion’. Formada em Newcastle upon Tyne por Eric Burdon (vocais), Alan Price (órgão), Hilton Valentine (guitarra), John Steel (bateria) e Bryan 'Chas' Chandler (baixo), que buscavam as raízes do blues e do folk, sendo influenciados por Chuck Berry, Bob Dylan, Nina Simone, Little Richard e Bo Diddley, começou a fazer sucesso com uma música nada pop, o blues tradicional ‘The House of the Rise Sun’. O grupo não durou muito com sua formação original, já que o baixista, Bryan 'Chas' Chandler, encontrou nos pubs de Londres um sujeito chamado Jimi Hendrix e resolveu ser seu empresário.

eric burdonJá o tecladista, Alan Price, decidiu formar uma outra banda, por achar que o 'Animals' era limitado demais para suas ambições musicais. Eric Burdon como nunca quis ser empresário de quem quer que fosse e sempre foi o que sempre foi, ou seja, um cantor de rock e blues e respeitado por todos como um dos maiores intérpretes surgidos na década de 60, continuou com a banda, até ela ser dissolvida por completo e então foi juntar-se à banda de funk norte-americana ‘War’. Burdon seguiu carreira solo e os 'Animals' são lembrados como um dos expoentes do rhythm and blues britânico dos anos 60. Muitos citam Mick Jagger, Joe Cooker e uma série de outros nomes quando querem dar exemplos de vigor vocal no rock e no blues. Pouca gente, no entanto, se lembra do baixinho Eric Burdon. Apaixonado pelo blues, pelo rock e pela música negra em geral, os vídeos mais antigos mostram do que Burdon foi capaz e ainda é, apesar dos poucos cabelos e dos muitos quilos.

the animals - don't let me be misunderstood


the animals - winds of change (1967)    the animals - inside out (1967)    the animals - every one of us (1968)

Winds of Change (1967)    |    Inside Out (1967)    |    Every One of Us (1968)

Tracklist: Winds of Change
01. Winds of Change 02. Poemy By The Sea 03. Paint it Black 04. The Black Plague 05. Yes I am Experienced 06. San Francisco Nights 07. Man - Woman 08. Hotel Hell 09. Good Times 10. Anything 11. It's All Meat

Tracklist: Inside Out
01. San Francisco Nights 02. Ring of Fire 03. I Put a Spell on You 04. Mama Told Me Not To Come 05. Good Times 06. Help Me Girl 07. Sky Pilot 08. Inside Looking Out 09. River Deep Mountain High 10. When I Was Young 11. Monterrey 12. Sweet Little Sixteen 13. Gin House Blues 14. Don't Bring Me Down

Tracklist: Every One of Us
01. White Houses 02. Uppers And Downers 03. Serenade To A Sweet Lady 04. The Immigrant Lad 05. Year Of The Guru 06. St. James Infirmary 07. New York 1963 - America 1968

the animals with sonny boy williamson (1975)    the animals - the best of (1988)

The Animals with Sonny Boy Williamson (1975)    |    The Best of (1988)

Tracklist: The Animals with Sonny Boy Williamson
01. Sonny's Slow Walk 02. Pontiac Blues 03. My Babe 04. I Don't Care No More 05. Baby, Don't You Worry 06. Night Time Is The Right Time 07. I'm Gonna Put You Down 08. Fattening Frogs For Snakes 09. Nobody But You 10. Bye Bye, Sonny, Bye Bye 11. Coda 12. Let It Rock 13. Gotta Find My Baby 14. Bo Diddley 15. I'm Almost Grown 16. Dimples 17. Boom Boom 18. C Jam Blues

Tracklist: The Best of
01. House of the Rising Sun 02. I'm Crying 03. Baby Let Me Take You Home 04. Around And Around 05. Talkin' Bout You 06. Don't Let Me Be Misunderstood 07. Boom Boom 08. Dimples 09. We Gotta Get Out of This Place (US Version) 10. I'm In Love Again 11. Bury My Body 12. Gonna Send You Back to Walker 13. Story of Bo Diddley 14. It's My Life 3 15. Bring It on Home to Me

siena root

siena rootOs próprios membros da banda definem a sonoridade do grupo como uma mistura de Deep Purple, Black Sabbath e Led Zeppelin. Eles são essencialmente um trio formado em Estocolmo, Suécia, mas que atuam como quarteto, pois trocam de vocalista a cada disco. Reproduzem a magia do rock dos anos 70. Formada em 1997 a banda era inicialmente composta por Oskar Lundström nos vocais e teclados, KG West na guitarra e vocais, Sam Riffer no baixo e vocais e Love H. Forsberg na bateria. ‘Siena Root’ é uma banda de stoner rock, subgênero do rock que é caracterizado por possuir riffs de guitarra graves e lentos e grande influência psicodélica. Rock com fortes influências setentistas e lisérgicas que é basicamente um rótulo para bandas de pós-grunge que misturam referências sujas e pesadas aos ritmos e climas de classic/vintage. Rock que teve seu início no começo dos anos 90, com influências dos óbvios ‘Black Sabbath’, ‘Led Zeppelin’, ‘Deep Purple’, ‘Hendrix’ e ‘AC/DC’, até os não tão reconhecidos, como ‘Hawkwind’, ‘Blue Cheer’ e ‘Captain Beyond’, As bandas provavelmente mais conhecidas do estilo são o ‘Fu Manchu’, ‘Kyuss’ que é a precursora do estilo e sua evolução para o ‘Queens of the Stone Age’.

Misturando blues e hard rock clássico, rock progressivo e psicodélico, ‘Siena Root’ despontava no underground sueco, até conseguirem contrato para a gravação do álbum de estréia, o ‘A New Day Dawning’, em 2004, uma viagem musical e espiritual, ainda com Oskar Lundström nos vocais. Em 2005, sai Orkar dando lugar a bonita voz de Sanya, uma das mais poderosas vozes do rock atual. A sua entrada deu mais charme e poder à banda e a semelhança com os clássicos de 70 se acentuou mais. A nova formação chamou a atenção de fãs e da crítica especializada. É lançado ‘Kaleidoscope’. A influência da música indiana, com cítaras e notas repetidas e hipnóticas, se faz presente na épica ‘Bhairavi Duhn’. A perfeição do álbum se traduz claramente em ‘Nightstalker’. ‘Siena Root’ não traz nenhuma revolução musical e nem é a intenção deles. Sem gravação digital ou sonoridade hi-fi, eles representam a música feita com a alma. Apesar de toda a sua qualidade, ‘Siena Root’ ainda é uma banda bastante obscura. Há pouco material à venda, e os preços são absurdos.

siena root
siena root
siena root
siena root 3

siena root - nightstalker


siena root - a new day dawning (2004)

A New Day Dawning (2004)

Tracklist
01. Coming Home 02. Just Another Day 03. Shine 04. Fever 05. Above the Trees 06. What Can I Do 07. Little Man 08. Roots 09. Trippin' 10. Until Time Leaves Us Again 11. Words 12. Rasayana 13. Into the Woods

siena root - kaleidoscope (2006)

Kaleidoscope (2006)

Tracklist
01. Good and Bad 02. Nighststralker 03. Blues 276 04. Bhairavi Dhun 05. Crossing the Stratosphere 06. There and Back Again 07. Ridin' Slow 08. Reverberations

Siena Root - Far from the Sun (2008)

Far from the Sun (2008)

Tracklist
01. Dreams of Tomorrow 02. Waiting for the Sun 03. Time Will Tell 04. Almost There 05. Two Steps Backwords 06. Wishing for More 07. The Summer is Old 08. The Break of Dawn 09. Long Way from Home

siena root - different realities (2009)

Different Realities (2009)

Tracklist
01. We Are Them 02. In the Desert 03. Over the Mountains 04. As We Return 05. Bairagi 06. Bhairavi 07. Ahir Bhairav 08. Bhimpalasi 09. Shree 10. Jog

zz top

zz topBilly Gibbons, exímio guitarrista, o sisudo Frank Beard na bateria e o divertido Dusty Hill no baixo, é o forte trio que forma a banda de rock blues texana ‘ZZ Top’. Eles foram formados na década de 70 em torno de Houston cuja formação original era o ‘Moving Sidewalks’ da década de 60. ‘ZZ Top’ era mais uma na avalanche de bandas de boogie que surgiram nos anos 60. O boogie-woogie era um estilo de blues muito popular entre os negros nos anos 30 e 40 e caracterizado pelo uso sincopado da mão esquerda ao piano. Embora muitos considerem o trio apenas como mais uma banda boogie do Sul, o ‘ZZ Top’ tem algumas credenciais impressionantes. Sua turnê em 1976 quebrou recordes de público alcançado anteriormente somente pelos Beatles; foi uma das primeiras bandas a perceber o potencial de vídeos musicais, e foi, sem dúvida, a primeira a banda de blues a incorporar com sucesso sintetizadores e drum machines em seu som.

William Frederick Gibbons mais conhecido como Billy Gibbons nasceu em Houston, Texas, e, depois de ser picado pelo mosquito Elvis Presley na idade de sete anos, começou a tocar guitarra. Ele formou sua primeira banda, ‘The Saints’, quando tinha quatorze anos e, posteriormente, renomeada para ‘The Coachmen’. Foi só uma questão de poucos anos para que descobrisse seu próprio ritmo e o blues. Em 1967 ele estava tocando em um grupo chamado ‘Moving Sidewalks’. E a canção ‘99th Floor’ ficou no topo das paradas texanas por cinco semanas. Em 1968, a banda excursionou com Jimi Hendrix e este ficou tão impressionado com Gibbons que citou o texano como um dos melhores guitarristas dos Estados Unidos. Devido à Guerra do Vietnã, os membros da banda foram convocados e Gibbons foi obrigado a dissolver a banda. Gibbons chamou a atenção do empresário Bill Ham e juntos foram à procura de um baixista e um baterista. Depois de várias audições, se uniu a dois veteranos da cena do blues, Dusty Hill e Frank Beard. Joe Michael Hill, conhecido como Dusty Hill um nativo de Dallas, também entrou na música depois de ver uma performance de Elvis Presley na televisão e começou a tocar baixo quando tinha treze anos. Junto com seu irmão, o guitarrista Rocky Hill, eles formaram o ‘The Deadbeats’. O trio sabia que tinham um grande som juntos, mas perceberam que era preciso mais do que isso para o sucesso. Bill Ham se tornou o empresário, controlando cada movimento e os aspectos de suas carreiras para fazer de ‘ZZ Top’ um nome familiar.

zz top

Dusty Hill, Frank Beard e Billy Gibbons

Seus dois primeiros álbuns refletiram as fortes raízes do blues e o humor texano da banda. 'ZZ Top' começou a ganhar seus primeiros fãs com o primeiro grande hit ‘Francene’ do segundo álbum da banda 'Rio Grande Mud'. A fusão do blues, country e do rock se daria com o álbum ‘Tres Hombres’, com o qual conquistaram um disco de platina devido ao sucesso de ‘La Grange’ com um riff de guitarra que se tornou famoso com base no ‘Boogie Chillen’ de John Lee Hooker. O sucesso continuou ininterruptamente ao longo dos anos 70. Nos discos posteriores não conseguem o mesmo nível e decidem parar, no início dos anos 80, Gibbons e Hill retornam com imensas barbas, óculos escuros e longas capas e conquistam os americanos com o álbum ‘El Loco’. O único sem barba é aquele que tem barba no nome, o baterista Frank. A banda é famosa pelas apresentações ao vivo. Barbas longas, óculos escuros, jaquetas de couro, motos envenenadas, muita cerveja e acompanhantes bem ao gosto dos americanos, com seios enormes. Os shows dos texanos fazem lembrar umas tantas Harley Davidsons por uma longa estrada cortando o deserto, dunas e cactos ao longe, motéis baratos e bares enfumaçados e empoeirados aqui e ali na beira da estrada.

zz top - joe blues


zz top - eliminator (1983)

Eliminator (1983)

Tracklist
01. Gimme All Your Lovin' 02. Got Me Under Pressure 03. Sharp Dressed Man 04. I Need You Tonight 05. I Got the Six 06. Legs 07. Thug 08. TV Dinners 09. Dirty Dog 10. If I Could Only Flag Her Down 11. Bad Girl

zz top - rancho texicano the very best (2004)

Rancho Texicano: The Very Best of ZZ Top (2004)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. Brown Sugar 02. Goin' Down To Mexico 03. Just Got Back From Baby's 04. Francene 05. Just Got Paid 06. Bar-B-Q 07. La Grange 08. Waitin' For The Bus 09. Jesus Just Left Chicago 10. Beer Drinkers & Hell Raisers 11. Mexican Blackbird 12. Tush 13. Thunderbird 14. Blue Jean Blues 15. Heard It On The X 16. It's Only Love 17. Arrested For Driving While Blind 18. I Thank You 19. Cheap Sunglasses 20. I'm Bad, I'm Nationwide 21. A Fool For Your Stockings

Tracklist CD 2
01. Tube Snake Boogie 02. Pearl Necklace 03. Gimme All Your Lovin' 04. Sharp Dressed Man 05. Legs 06. Got Me Under Pressure 07. Sleeping Bag 08. Stages 09. Rough Boy 10. Velcro Fly 11. Woke Up With Wood 12. Doubleback 13. My Head's In Mississippi 14. Viva Las Vegas 15. Cheap Sunglasses (Live) 16. Legs (Dance Mix) 17. Velcro Fly (12' Remix)

zz top - chrome, smoke & BBQ (2003)

Chrome, Smoke & BBQ (2003)
CD 1    CD 2    CD 3    CD 4

Tracklist CD 1
01. You Make Me Shake 02. Joe Blues 03. Crimson Witch 04. Miller's Farm 05. Salt Lick 06. Brown Sugar 07. Goin' Down to Mexico 08. Just Got Back from Baby's 09. Francine 10. Just Got Paid 11. Ko Ko Blue 12. Chevrolet 13. Bar-B-Q 14. Sure Got Cold After the Rain Fell 15. Whiskey'n Mama 16. La Grange 17. Waitin' for the Bus 18. Jesus Just Left Chicago 19. Beer Drinkers & Hell Raisers 20. Master of Sparks

Tracklist CD 2
01. Precious and Grace 02. Shiek 03. Thunderbird 04. Jailhouse Rock 05. Nasty Dogs and Funky Kings 06. Heard It on the X 07. Blue Jean Blues 08. Mexican Blackbird 09. Tush 10. It's Only Love 11. Arrested for Driving While Blind 12. El Diablo 13. Enjoy and Get It On 14. She's a Heartbreaker 15. Asleep in the Desert 16. I Thank You 17. Cheap Sunglasses 18. I'm Bad, I'm Nationwide 19. A Fool for Your Stockings 20. Degüello Album Radio Spot 21. Manic Mechanic 22. She Loves My Automobile 23. Leila 24. Tube Snake Boogie

Tracklist CD 3
01. I Wanna Drive You Home 02. It's So Hard 03. Pearl Necklace 04. Heaven, Hell or Houston 05. Gimme All Your Lovin 06. Got Me Under Pressure 07. TV Dinners 08. Sharp Dressed Man 09. Legs 10. I Got the Six 11. Dirty Dog 12. If I Could Only Flag Her Down 13. Sleeping Bag 14. Stages 15. Woke Up With Wood 16. Rough Boy 17. Can't Stop Rockin' 18. Planet of Women 19. Velcro Fly 20. Delirious

Tracklist CD 4
01. Concrete and Steel 02. Lovething 03. Penthouse Eyes 04. My Head's in Mississippi 05. Give It Up 06. Doubleback 07. Blues 08. Reverberation (Doubt) 09. Viva Las Vegas 10. Gun Love 11. Francine 12. Cheap Sunglasses [Live] 13. Legs [Dance Mix] 14. Viva Las Vegas [12" Remix] 15. Give It Up [2,800 Mile Remix] 16. Velcro Fly [12" Remix]

the commitments

 the commitments (1991) ‘The Commitments’ é considerado um filme menor na carreira do cineasta Alan Parker, famoso por dirigir filmes como ‘The Wall’ e ‘Birdy’. Inspirado em um livro do escritor irlandês Roddy Boyle, a história conta o nascimento de uma banda que se une para tocar soul music e R&B na Irlanda, mostrando a sua meteórica ascensão e queda. O filme possui dois personagens principais: o empresário Jimmy Rabbitte (Robert Arkins), morador do subúrbio e que sonha fazer dinheiro com uma banda, e o cantor Deco vivido por Andrew Strong. Da mesma maneira que existia a química para a música, existia o ódio entre os componentes do grupo, e não era fingimento. O cantor gorducho Andrew Strong, de 17 anos na época, cuja voz lembra Joe Cocker, era considerado um escroto.

A história é simples: Jimmy vive em um bairro pobre da Irlanda, com sua família e tem um pai absolutamente fanático por Elvis Presley, que defende com unhas e dentes a teoria de que o Rei do Rock não morreu de overdose por drogas. Sharon, interpretada por Andrea Corr, é a irmã de Jimmy. Andréa Corr é hoje uma das integrantes de uma banda de enorme sucesso mundial, ‘The Corrs’. Nesse ambiente, Jimmy sonha em montar uma banda de música negra, pois segundo ele os irlandeses são os negros da Europa e os dublinenses são os negros mais negros da Irlanda e por isso são os mais aptos para tocar a música soul. Sem saber como encontrar músicos para sua banda e que já tem até um nome escolhido previamente, ‘The Commitments’, Jimmy sai perambulando pela cidade até encontrar em uma festa de casamento um jovem garoto, Deco, que bêbado, sobe ao palco e canta algumas músicas, com grande talento. Mas Deco era conhecido como uma pessoa problemática e intragável, mas mesmo assim, Jimmy resolve convidá-lo para integrar o grupo. Desempregado e sem maiores preocupações, Deco aceita.

robert arkinsEra preciso mais integrantes, era necessário ter cantoras, uma seção de metais, além de um guitarrista, um pianista, um baixista e um baterista, completando a formação. Para escolher as cantoras, recruta três beldades. Jimmy estava de olho na loira e sexy Imelda, vivida por Angeline Ball, mas acabou muito feliz com a chegada da igualmente bonita Natalie, e que canta até melhor. Recrutando músicos dos mais diferentes lugares, Jimmy começa a montar o grupo. Mas ainda faltava o toque final, alguém que pudesse orientar todos aqueles talentos crus. Entra em cena o trumpetista Joey ‘The Lips’ Fagan, um músico com mais de 40 anos, misterioso e que encontrou Jimmy após ouvir um chamado do Senhor. Joey era realmente o único músico profissional do jovem grupo e mostra um currículo impressionante, e que Jimmy não acredita, à princípio, pois havia tocado com todos os nomes importantes dos anos 50, 60 e 70 - de Elvis até Wilson Pickett. Obviamente, Joey é a voz que aconselha Jimmy e que rege os ensaios. É ele que ensina aos garotos como tocar soul e o que faz um músico soul. É nesse momento que Jimmy explica a idéia central para os músicos, durante uma viagem de ônibus: ‘The Commitments’ será uma banda de música negra, pois eles são os negros da Irlanda. E os jovens brancos, obviamente, pensam que Jimmy é um maluco. Alan Parker só conheceu o escritor Roddy Doyle dias antes de começar os trabalhos em Dublin, e o contato entre os dois foi mínimo, pois o escritor trabalhava como professor em Dublin. E entre todos os jovens atores, Andrew Strong, que viveria Deco, explode. Gordo, desbocado, egocêntrico, indolente, e com modos sujos, ele é desde o primeiro ensaio a grande figura da banda. Mesmo causando aversão aos demais componentes do grupo, Deco é aceito, pois Joey afirma que sua voz é abençoada. E realmente é impressionante que um garoto de 16 ou 17 anos tenha domínio da voz, tão cheia de energia e ritmo.

 andrew strongAo mesmo tempo em que os ensaios vão progredindo e as primeiras apresentações vão aparecendo, as brigas explodem entre os membros e muitas delas não estavam no roteiro original, especialmente as que envolviam Deco e o baterista Mickah Wallace. E, em meio a tudo isso, a banda cresce e começa a fazer fama e Jimmy pode finalmente fazer o que tanto ama: dar entrevistas aos jornais falando de sua banda, como fazia no seu quarto dando entrevistas imaginárias. O grande ápice do filme é o show final da banda. O velho Joey que havia namorado todas as garotas da banda, que se engalfinham nos bastidores e disputam o velho músico, que, deliciado, apenas observa a tudo. O segurança é promovido à baterista, substituindo Mickah Wallace que deixou o grupo para não matar Deco. O cantor aumenta ainda mais seu egocentrismo desprezando os outros integrantes. Para aumentar a tensão, Joey fez uma visita ao lendário Wilson Pickett, que estava em Dublin para um show, e Joey promete que ele tocará com o grupo por alguns minutos. Excitado com a idéia, o inexperiente Jimmy sai divulgando ao mundo que ‘The Commitments’ fará um show histórico com Pickett. Para tal celebração, veste os integrantes com trajes de gala: os homens de smoking, as mulheres em longos vestidos negros e justos, para realçar suas curvas. E antes do show começar uma briga explode nos camarins entre os músicos, mas mesmo assim vão para o palco e arrepiam com a versão de ‘Try A Little Tenderness’, imortalizada na voz única de Otis Redding, em que Deco brilha mais do que nunca.

Maria Doyle KennedyPickett não chega e Jimmy cobra de Joey uma posição sobre o caso. Velhaco, o trumpetista apenas afirma que Wilson Pickett jurou aparecer, mas que não se pode cobrar nada de uma pessoa tão famosa. Logo após o show, a banda desmorona, e Deco é espancado pelo baterista. ‘The Commitments’ termina tão rapidamente quanto aparecera. E o que sobrou para Jimmy? Tornou-se empresário da cantora Natalie que era apaixonada por Jimmy desde o início. Ao final do filme, Jimmy, atua como o narrador da história, contando as desventuras de cada integrante: Deco tornou-se um cantor genioso e fracassado e cada um dos integrantes voltou a ser o que era enquanto o padre toca James Brown no órgão da igreja. O filme obteve um sucesso enorme, mas o sucesso da trilha sonora foi maior ainda. Após lançar a trilha original com 14 faixas, os produtores lançaram outro disco, com as outras músicas tocadas no filme e mais algumas inéditas. O primeiro disco é um clássico. Andrew Strong rouba a cena em ‘Mustang Sally’, ‘Take Me To The River’, ‘The Dark End Of The Street’, ‘In The Midnight Hour’ e ‘Try A Little Tenderness’. Angela (Maria Doyle) faz uma bela versão de ‘I Never Loved a Man’, clássico na voz de Aretha Franklin; Angelina resplandece em ‘Chain Of Fools’ e ‘I Can't Stand The Rain’. E Jimmy, com voz afinada e sensual na belíssima ‘Slip Away’. O disco 2 tem bons momentos, como a versão de ‘Bring On Home To Me’, de Sam Cooke, também na voz de Jimmy. Após o filme, uma banda real foi criada e o grupo sobrevive até hoje, excursionando pela Europa e Estados Unidos e tocando todos os clássicos dos dois discos. Andrew Strong e Maria Doyle Kennedy desenvolveram carreiras-solos e conquistaram sucesso de público e critica. (fonte: mofo)

the commitments

the commitments - mustang sally


soundtrack the commitments (1991) vol 1    soundtrack the commitments (1991) vol 2

The Commitments (1991) vol. 1    |    The Commitments (1991) vol. 2

Tracklist: volume 1
01. Mustang Sally 02. Take Me To The River 03. Chain Of Fools 04. The Dark End Of The Street 05. Destination Anywhere 06. I Can't Stand The Rain 07. Try A Little Tenderness 08. Treat Her Right 09. Do Right Woman, Do Right Man 10. Mr. Pitiful 11. I Never Loved A Man 12. In The Midnight Hour 13. Bye Bye Baby 14. Slip Away

Tracklist: volume 2
01. Hard To Handle 02. Grits Ain't Groceries 03. I Thank You 04. That's The Way Love Is 05. Show Me 06. Saved 07. Too Many Fish In The Sea 08. Fa-Fa-Fa-Fa-Fa (Sad Song) 09. Land Of A Thousand Dances 10. Nowhere To Run 11. Bring It On Home To Me

gladys knight and the pips

Gladys Knight & The PipsNo início dos anos 70 você ligava o rádio e ouvia James Taylor, Carole King, Cat Stevens, Carly Simon, Neil Young, Elton John, Bread... que cantavam suas tristezas em baladinhas bonitinhas que apenas convidavam para dançar de rosto colado, sem qualquer outra preocupação e tinham algo em comum, eram brancos. Daí surgiu uma geração de músicos negros que foi além, preocupada com melodia e com arranjos mais sofisticados, que não só convidavam para a pista de dança, mas pegavam pela emoção, e eram sensuais. Dentre os vários conjuntos dessa época, quem não se lembra de ‘Gladys Knight and the Pips’ embalando as noites de amor em algum dos vários motéis que se multiplicavam nas beiras das estradas com a música 'For once in my life'? ‘Gladys Knight and the Pips’ foi um grupo vocal formado pela cantora Gladys Knight, o seu irmão, Merald, e dois dos seus primos, Guest e Patten. ‘The Pips’ é por conta de um outro primo, James Wood, apelidado de Pip, e que se tornou empresário do grupo. Gladys Knight, desenvolveu depois, paralelamente, uma carreira solo muito bem sucedida. Dona de uma voz extraordinária e intérprete de grande energia, dosando leveza e suingue, e fazendo o seu vozeirão deslizar macio, tornou-se uma figura lendária da música soul.

gladys knight and the pips

gladys knight & the pips - neither one of us


The Best of Gladys Knight & The Pips (1995)

The Best of (1995)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. Every Beat Of My Heart 02. Letter Full Of Tears 03. Giving Up 3 04. Just Walk In My Shoes 05. Since I've Lost You 06. Take Me In Your Arms And Love Me 07. Everybody Needs Love 08. I Heard It Through The Grapevine 09. The End Of Our Road 10. Don't Let Her Take Your Love From Me 11. All I Could Do Was Cry 12. It Should Have Been Me 13. I Wish It Would Rain 14. Didn't You Know (You'd Have To Cry Sometime) 15. Got Myself A Good Man 16. I Want Him To Say It Again 17. The Nitty Gritty 18. (I Know) I'm Losing You 19. Cloud Nine 20. Every Little Bit Hurts 21. Billy, Come On Back As Quick As You Can 22. It's Bad For Me To See You

Tracklist CD 2
01. Friendship Train 02. The Tracks Of My Tears 03. You Need Love Like I Do (Don't You?) 04. If I Were Your Woman 05. I Don't Want To Do Wrong 06. It's All Over But The Shoutin' 07. Somebody Stole The Sunshine 08. For Once In My Life 09. Feeling Alright 10. Make Me The Woman That You Go Home To 11. If You Gonna Leave (Just Leave) 12. Help Me Make It Through The Night 13. Neither One Of Us (Wants To Be The First To Say Goodbye) 14. Daddy Could Swear, I Declare 15. Can't Give It Up No More 16. All I Need Is Time 17. The Only Time You Love Me Is When You're Losing Me 18. Between Her Goodbye And My Hello

gladys knight - before me (2006)

Before Me (2006)

Tracklist
01. Do Nothing Till You Hear From Me 02. The Man I Love 03. Good Morning Heartache 04. Since I Fell For You 05. God Bless The Child 06. This Bitter Earth 07. I Got It Bad (And That Ain't Good) 08. Someone To Watch Over Me 09. But Not For Me 10. I'll Be Seeing You 11. Stormy Weather 4 12. Come Sunday

otis redding

otis reddingOtis Redding nasceu na Georgia em 1941 e em 1967, morreu aos 26 anos de idade. Considerado um dos maiores cantores da soul music e rhythm and blues de sua geração, ele e sua banda de apoio ‘The Bar-Kays’ perderam a vida quando o avião em que viajavam caiu em um lago gelado de Wisconsin. Ben Cauley, um dos ‘Bar-Kays’ foi o único sobrevivente do acidente. Em 1965 o músico havia lançado seu terceiro disco, uma verdadeira obra prima chamada 'Otis Blue: Otis Redding Sings Soul'. Com tanta música descartável por aí e novas sensações aparecendo a toda hora para depois sumirem sem o menor aviso, e na maioria dos casos, sem fazer muita falta, é de admirar que um álbum mesmo depois de 40 anos do seu lançamento continua esbanjando qualidade. Continua sendo uma delícia ouvir um cantor verter tanta paixão e emoção em músicas que depois de passarem por ele nunca mais foram as mesmas.

Otis Redding nasceu na pequena cidade de Dawson, Geórgia. Quando tinha cinco anos, sua família se mudou para Macon também na Georgia, onde Otis começou a cantar no coral de uma igreja. Quando adolescente trabalhou como coveiro e frentista. E quando teve a oportunidade de participar do show de talentos do ‘Douglass Theatre’ ganhou por 15 semanas consecutivas. Ainda na adolescência resolveu sair da cidade. A sua primeira influência musical foi Little Richard, que também havia morado em Macon, e Otis fez parte de sua antiga banda, os ‘Upsetters’; depois da banda de Willie Little, ‘Panthers’; e mais tarde, em 1960, com Johnny Jenkins nos ‘Pinetoppers’. Além de cantar, Otis trabalhava como motorista de Jenkins. No mesmo ano fez suas primeiras gravações, com seu grupo ‘Otis Redding and the Pinetoppers’. Ele e seu grupo tocaram pela primeira vez na boate ‘Whisky a Go Go’, na Califórnia.

otis redding

Em 1962 durante uma sessão de Johnny Jenkins, quando o estúdio ficou vago, ele gravou ‘These Arms of Mine’, uma balada de sua autoria. A música virou um pequeno hit pela ‘Volt Records’, uma subsidiária do renomado selo sulista ‘Stax Records’ que tinha sede em Memphis, Tennessee. Otis Redding compunha a maioria de suas músicas, prática não muito comum na época, às vezes em parceria com Steve Cropper do grupo ‘Booker T. & the MG's’. Em 1967 ele se apresentou no influente Festival Pop de Monterey. E foi reconhecido como um grande cantor de soul e ganhou a admiração incondicional de bandas britânicas como os ‘Rolling Stones', mas o reconhecimento por seu trabalho veio apenas postumamente. É de sua autoria, o hit de Aretha Franklin, ‘Respect’. Enquanto Otis escreveu a canção para pedir o respeito e reconhecimento de uma mulher, Aretha reverteu os papéis em sua versão que se tornou uma marca registrada do movimento feminista. No ano seguinte ao acidente, sua canção ‘(Sittin’ On) the dock of the bay’ viria, tardiamente, a lhe trazer fama. Otis Redding foi chamado de o ‘rei do soul’, título dado também a James Brown e Sam Cooke.

otis redding soul legend (2011)

Otis Redding Soul Legend (2011)
CD 1    CD 2

Tracklist: CD 1
01. (Sittin On The) Dock Of The Bay 02. Hard To Handle 03. The Happy Song (Dum-Dum) 04. Fa-Fa-Fa-Fa-Fa (Sad Song) 05. Tramp (Duet With Carla Thomas) 06. Knock On Wood - (Duet With Carla Thomas) 07. Day Tripper 08. Try A Little Tenderness 09. My Lover's Prayer 10. Let Me Come On Home 11. Pain In My Heart 12. These Arms Of Mine 13. That's How Strong My Love Is 14. I've Been Loving You Too Long 15. Just One More Day 16. Security 17. Chained and bound 18. Ole Man Trouble (Album Cut - Otis Blue)

Tracklist: CD 2
01. Shake (Live) 02. My Girl 03. I Can't Turn You Loose 04. Mr Pitiful 05. Respect 06. (I Can't Get No) Satisfaction 07. Glory Of Love 08. I Love You More Than Words Can Say 09. I've Got Dreams To Remember 10. Open The Door 11. I'm Coming Home To See About You 12. Nobody's Fault But Mine 13. Champagne And Wine 14. A Lover's Question 15. Love Man 16. Free Me 17. Direct Me 18. Amen

otis redding - sittin' on the dock of the bay


soundtrack by john williams

john williamsJohn Williams compôs temas televisivos de ‘Lost in Space’ (Perdidos no Espaço), ‘The Time Tunnel’ (Túnel do Tempo) ou ‘Land of the Giants’ (Terra de Gigantes), e atuou como diretor musical e compositor em mais de setenta e cinco filmes desde 1959. Recebeu trinta e três indicações ao Oscar e foi premiado com cinco, mais quatro premiações da ‘British Academy Awards’ e Grammies, bem como vários discos de platina. Versátil, compôs melodias memoráveis para diversos roteiros: para as travessuras do menino herói de ‘Empire of the Sun’ (Império do Sol); a ameaça de ‘Jaws’; o terror de ‘Jurassic Park’; a tragédia de ‘JFK’; o espetáculo épico de ‘Star Wars’ e de ‘Close Encounters of the Third King’ (Contatos Imediatos do Terceiro Grau); o horror de ‘Born on the Fourth of July’ (Nascido em 4 de julho); o humor sutil de ‘The Accidental Tourist’ (O Turista Acidental ); as emoções de ‘Raiders Of The Lost Ark’ (Caçadores da Arca Perdida); a compaixão de ‘Schindler's List’; a sofisticação de ‘Sabrina’; a desilusão de ‘Nixon’ e a ternura de ‘ET’.

john williams with spielbergJohn Towner Williams nasceu em Nova York, quando adolescente estudou piano e como nessa época o pai trabalhava nas orquestras de estúdio em Hollywood, através de suas conexões John estudou com professores que estavam familiarizados com o mundo do cinema e sua música. Aos 18 anos já era um talentoso músico e como a intenção era ser reconhecido como músico clássico, mudou-se para a Califórnia, onde posteriormente começou sua carreira no cinema. Foi para a ‘Columbia Pictures’ e tocou por duas vezes com a orquestra da qual seu pai era membro, daí em diante era convidado a integrar a orquestra se o pianista estava ausente até conseguir um contrato de dois anos onde trabalhou na orquestração de diversos filmes, dentre os quais ‘The Guns of Navarone’ (Os Canhões de Navarone). Logo começou sua carreira de compositor, inicialmente em comédias até chegar a filmes mais importantes, como a trilogia-catástrofe ‘The Poseidon Adventure’ (O Destino do Poseidon), ‘Earthquake’ (Terremoto) e ‘The Towering Inferno’ (Inferno na Torre), e os primeiros filmes de Steven Spielberg. Em ‘Jaws’ (Tubarão), John Williams criou o famoso tema de duas notas, ‘Close Encounters of the Third King’ (Contatos Imediatos do Terceiro Grau) teve grande parte da música composta antes mesmo de se realizarem as filmagens e o resultado foi uma obra-prima, que só não recebeu o Oscar daquele ano porque John Williams foi derrotado por um concorrente imbatível: ele mesmo, com ‘Star Wars', cujo álbum vendeu mais do que qualquer outro álbum pop.

john williams with george lucasDo final dos anos 70 destacam-se ainda as trilhas para ‘The Fury’ (A Fúria) de Brian De Palma, a trilha do primeiro filme do ‘Superman’ de Richard Donner estrelado por Christopher Reeve e ‘Drácula’ de John Badham. Ao longo dos anos 80, Williams continuou a compor partituras de qualidade como ‘Empire of the Sun’ (O Império do Sol) de Spielberg, e da trilogia ‘Indiana Jones’. Na década de 90, o compositor limitou-se a filmes de Spielberg (Jurassic Park, A Lista de Schindler, Amistad) e a poucos projetos de diretores renomados, como ‘Nixon’ de Oliver Stone, e ‘Sabrina’ de Sidney Pollack. Contudo, a partir de 1999 regressou em um novo ciclo que teve início com ‘Star Wars Episode I: The Phantom Menace’ (Star Wars Episódio I: A Ameaça Fantasma), seguindo com ‘Angela's Ashes’ (As Cinzas de Ângela) e o ‘The Patriot’ (O Patriota). No século 21, Williams nos fascinou em ‘A.I. Artificial Intelligence’ (A. I. - Inteligência Artificial) e em ‘Harry Potter and the Sorcerer Stone’ (Harry Potter e a Pedra Filosofal). Além de sua música para filmes, John Williams também escreveu uma série de concertos, incluindo duas sinfonias e concertos para flauta, fagote, violino e violoncelo. John Williams é admirável.

john williams - E.T. (flying)


soundtrack by john williams - filmworks (1997)

Filmworks (1997)

Tracklist
01. The Lost World - Main theme, The Lost World 02. Always - Dorinda solo flight 03. Jaws - Main title 04. Earthquake - Main title 05. Always - Follow me 06. Midway - Midway march 07. The Eiger Sanction - Main title 08. E.T. - Over the Moon 09. E.T. - Flying 10. Dracula - Main title & Storm sequence 11. The River - The River 12. Empire of the Sun - Cadillac of the skies 13. Far and Away - County Galway, June 1892 14. Far and Away - End credits feat. The Chieftains 15. Schindler´s List - Theme 16. Jaws - Out to Sea 17. Raiders of the Lost Ark - The Raider´s march 18. Jaws II. - End title & End cast 19. Jurassic Park - My friend, the Brachiosaurus 20. Superman - Main theme 21. Jurassic Park - End credits

soundtrack by john williams - the essential (1999)

The essential John Williams Film Music Collection (1999)
CD 1    CD 2

CD 1
01. Indiana Jones and the Temple of Doom [End Credits] 02. Saving Private Ryan [Hymn to the Fallen] 03. Hook [Main Themes] 04. Hook: When You're Alone 05. Cowboys (Overture) 06. Born on the Fourth of July [End Credits] 07. Family Plot [End Titles] 08. JFK [Arlington] 09. JFK [End Titles] 10. Empire of the Sun [Exsultate Justi] 11. Rare Breed [Universal Emblem/Hilary's Plight/Double Crossed/Ta] 12. Rare Breed [Scottish Romeo/The Hunt] 13. Rare Breed [On His Own] 14. Rare Breed [The Cross-breed/end Credits]

CD 2
01. Towering Inferno (Main Theme) 02. Amistad [Dry Your Tears Afrika] 03. Superman: Love Theme 04. Superman (Main Theme) 05. The River [Main Theme/Love Theme] 06. Black Sunday Suite: Fugue, Scherzo & Final 07. Jaws (Main Theme) 08. Star Wars (Main Title) 09. Empire Strikes Back [Han Solo & the Princess] 10. Empire Strikes Back [Imperial March] 11. Close Encounters of the Third Kind: The Conversation Begins/Main 12. Presumed Innocent [End Titles] 13. Schindler's List Theme 14. Indiana Jones and the Last Crusade [End Credits]

soundtrack by john williams - greatest hits 1969-1999

Greatest Hits 1969-1999
CD 1    CD 2

CD 1
01. Star Wars: Main Title 02. E.T.: Flying Theme 03. Superman: Main Title 04. Indiana Jones And The Temple Of Doom: Parade Of The Slave Children 05. Sugarland Express: Theme 06. Jaws: Theme 07. Olympic Fanfare And Theme 08. Return Of The Jedi: Luke And Leia 09. The Reivers: Main Title 10. THe Empire Strikes Back: The Imperial March 11. Indiana Jones And The Last Crusade: Scherzo For Motorcycle And Orchestra 12. Empire Of The Sun: Cadillac Of The Skies 13. Raiders Of The Lost Ark: The Raiders' March 14. Close Encounters Of The Third Kind: Suite

CD 2
01. Saving Private Ryan: Hymn To The Fallen 02. Jurassic Park: Theme 03. Schindler's List: Theme 04. Hook: Flight To Neverland 05. Seven Years In Tibet: Seven Years In Tibet 06. JFK: Prologue 07. Stepmom: The Days Between 08. 1941: March 09. Home Alone: Somewhere In My Memory 10. Summon The Heroes 11. Rosewood: Look Down, Lord 12. Far And Away: Theme 13. Born On The Fourth Of July: Theme 14. Star Wars Episode 1: Phantom Menace: Duel Of The Fates

irma thomas

irma thomasIrma Thomas é uma cantora norte-americana de soul e blues, que reina há mais de 40 anos como a rainha do soul na cidade de New Orleans. Trazendo para a ‘soul music’ o colorido da cidade ficou famosa nacionalmente com o hit ‘I Wish Someone Would Care’ de 1963 e pelo single ‘Time is on my side’ gravado também pelos ‘Rolling Stones’ em 1965. Mesmo assim, nunca experimentou o sucesso comercial de Aretha Franklin e Etta James. Poderia ter conseguido o mesmo sucesso das duas, indo para Los Angeles ou New York, mas preferiu ficar na sua amada New Orleans, gravando em selos independentes e com alto padrão de qualidade, tanto no palco quanto em seus 30 álbuns. Seu clube, o ‘Lion's Den’, esteve fechado por causa dos efeitos do furacão Katrina, mas Irma Thomas continua ativa, apresentando-se anualmente no ‘New Orleans Jazz and Heritage Festival’ mostrando toda a sua majestade e versatilidade musical.

A incomparável Rainha do Soul de New Orleans, um título oficialmente outorgado pelas autoridades locais, nasceu Irma Lee em Ponchatoula, Los Angeles, mas a infância de Irma Thomas, foi de curta duração. Ela teve seu primeiro filho aos 14 anos, e foi mãe de mais três e divorciada duas vezes antes dos 19 anos. Mantendo o sobrenome do seu segundo marido, Irma começou a trabalhar como garçonete no ‘Pimlico Club’ e se apresentou em uma noite com o veterano bandleader de Nova Orleans Tommy Ridgley e sua banda. Ridgley ficou tão impressionado com o talento vocal da adolescente e com sua ajuda Irma fez sua estréia no rótulo ‘Minit and Ronn’ com a picante música ‘You Can Have My Husband (But Don't Mess with My Man)’, sucesso em 1960. Depois assinou contrato com a ‘Chess Records’, mas não foi uma relação de sucesso e ela passou os próximos anos fora dos estúdios.

irma thomas

Aos 23 anos, Thomas foi enviada para Los Angeles para gravar com a ‘Imperial Records’, que havia adquirido seu contrato. O álbum resultante, ‘Wish Someone Would Care’ com a faixa-título, que Irma compôs, foi sucesso mas paradas e uma grande realização para uma cantora norte-americana no ano da invasão britânica, quando a maioria das músicas no topo das paradas vinham de bandas inglesas. Logo em seguida gravou uma versão de ‘Time Is On My Side’, que se tornou sua canção mais conhecida. Mas, a canção também foi gravada pelos ‘Rolling Stones’, e deu à banda britânica seu primeiro sucesso nas paradas musicais. Irma Thomas ficou tão irritada devido a versão dos Stones tê-la ofuscou que ela raramente cantava a música. O cantor Otis Redding também fez sucesso em 1964 com a música de Irma, ‘Ruler of My Heart’, que a re-escreveu e renomeu como ‘Pain in My Heart’.

Em 1969, após o furacão Camille atravessar o Golfo do México, Irma Thomas mudou-se para a Califórnia, e depois para Los Angeles. Ela gravou esporadicamente para alguns selos, mas nenhum produziu algum lançamento de sucesso e ela teve que trabalhar na loja de Montgomery Ward para sustentar seus quatro filhos. Em 1976, ela voltou para casa em Nova Orleans e foi recebida no ‘New Orleans Jazz & Heritage Festival’, e com a ajuda do novo marido e gerente Emile Jackson, começou a reconstruir sua carreira. Além de suas aparições em torno de Nova Orleans, fez turnês pela Europa e Japão. Em 1985, ela assinou um contrato com a ‘Rounder Records’, e começou a lançar uma série de discos de sucesso.

irma thomas - I need your love so bad


irma thomas - The Irma Thomas Collection (1996)    Irma Thomas - Simply Grand (2008)

The Irma Thomas Collection     |    Simply Grand

Tracklist: The Irma Thomas Collection (1996)
01. Cry On 02. I Done Got Over It 03. It's Raining L 04. Hittin' on Nothin' 05. Ruler of My Heart 06. Wish Someone Would Care 07. Breakaway 08. I Need Your Love So Bad 09. While the City Sleeps 10. Time Is on My Side 11. Anyone Who Knows What Love Is (Will Understand) 12. Moments to Remember 13. Straight from the Heart 14. Take a Look 15. It's a Man's Woman's World, Pt. 1 16. Long After the Night Is All Over 17. Times Have Changed 18. He's My Guy 19. What Are You Trying to Do 20. Nobody Wants to Hear Nobody's Troubles 21. Hurt's All Gone 22. I'm Gonna Cry 'Til My Tears Run Dry 23. It's Starting to Get to Me Now

Tracklist: Simply Grand (2008)
01. River Is Waiting 02. If I Had Any Sense I'd Go Back Home 03. Too Much Thinking 04. Early in the Morning 05. What Can I Do 06. Underground Stream 07. Thinking About You 08. Be You 09. This Bitter Earth 10. Cold Rain 11. Somebody Told You 12. Overrated 13. Same Old Blues 14. I Think It's Going to Rain Today

irma thomas - the story of my life (1997)    irma thomas - after the rain (2006)    the soul queen of new orleans (2009)

The Story of My Life     |    After The Rain     |    The Soul Queen Of New Orleans

Tracklist: The Story of My Life (1997)
01. No Use Talkin' 02. The Story of My Life 03. I Count the Teardrops 04. Cried Too Long 05. Love Don't Get No Better Than This 06. Hold Me While I Cry 07. I Won't Cry For You 08. We All Need Love 09. Get Here 10. Keep the Faith 11. Dr. Feelgood

Tracklist: After The Rain (2006)
01. In The Middle Of It All 02. Flowers 03. I Count The Tears 04. Make Me A Pallet On Your Floor 05. I Wish I Knew How It Would Feel To Be Free 06. If You Knew How Much 07. Another Man Done Gone 08. Till I Can't Take It Anymore 09. These Honey Do's 10. Another Lonely Heart 11. Soul Of A Man 12. Stone Survivor 13. Shelter In The Rain

Tracklist: The Soul Queen Of New Orleans (2009)
01. Got To Bring It With You 02. Let It Be Me 03. I'm Your Puppet 04. Loving Arms 05. There Must Be A Better World Somewhere 06. The New Rules 07. Another Man Done Gone 08. What Can I Do 09. I Count The Tears 10. Old Records 11. Back Water Blues 12. In The Middle Of It All 13. Sweet Touch Of Love 14. Your Ship Has Sailed 15. River Is Waiting

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...