ABC of the blues 38: jimmy rushing & tampa red

posts relacionados
ABC of the blues

jimmy rushingJimmy Rushing (1901-1972) foi um cantor de blues e jazz mais conhecido como o vocalista da orquestra de Count Basie. Apelidado como ‘Mister Five-a-Five’, uma referência carinhosa à sua altura e peso, ele era dono de uma voz potente que tanto dominava o blues shouter quanto o swing. Em qualquer um dos estilos ele irradiava alegria. Rushing conseguiu fama na frente da banda de Count Basie, entre 1935 e 1950, mas ao contrário de muitos cantores da banda ele foi capaz de continuar depois com uma série de gravações solo, que aumentaram ainda mais a sua reputação como o primeiro cantor de jazz de primeira classe. James Andrew Rushing foi criado em uma família musical, seu pai era trompetista e sua mãe cantora. Aprendeu piano, violino e teoria musical, e quando adolescente começou a atuar em casas noturnas. Em 1923, como cantor de blues, percorreu o centro-oeste dos EUA com grupos itinerantes antes de se mudar para Los Angeles, Califórnia, onde cantou com Jelly Roll Morton. Em 1927 se juntou à banda de jazz ‘Blue Devils’ do baixista e líder Walter Page, e em seguida excursionou com Bennie Moten de 1929 até a morte do líder em 1935, indo para a orquestra de Count Basie, quando este assumiu a liderança da banda de Moten.

A seção rítmica de Basie foi perfeita para Rushing, as gravações ‘For You Sent Yesterday’ e ‘Boogie Woogie’, em 1936, carimbaram o seu nome na cena nacional, como também o de Lester Young. Suas melhores gravações são, provavelmente, ‘Going to Chicago’ e ‘Harvard Blues’ com o famoso solo de saxofone de Don Byas. Quando se separou de Basie em 1950, vítima dos tempos difíceis para as ‘big bands’, Rushing então formou seu próprio grupo e lançou uma série de álbuns solo para a ‘Vanguard Records’, e depois fez parte em várias gravações pela ‘Columbia’ com Dave Brubeck, Coleman Hawkins e Benny Goodman. Gravou também com alunos de Basie, como o trompetista Buck Clayton e Jo Jones, conhecido depois como Papa Jo Jones, um dos mais influentes bateristas na história do jazz, bem como no álbum ‘Jazz Party’ de Duke Ellington em 1959. Jimmy Rushing apareceu na TV em ‘The Sound of Jazz’, em 1957, e foi destaque em 1960 no show ‘The Evolution of the Blues’ escrito e dirigido pelo gênio do ‘vocalese’, Jon Hendricks, para o ‘Monterey Jazz Festival’. Em 1969, cantou e atuou no filme ‘The Learning Tree’, o primeiro longa-metragem dirigido por um afro-americano, o pioneiro fotógrafo, músico, poeta, romancista, jornalista, ativista e diretor de cinema, Gordon Parks, mais lembrado por seus ensaios de fotos para a revista ‘Life’ e como o diretor do filme ‘Shaft’ de 1971. Depois que ficou doente, com leucemia, em 1971, a carreira de Jimmy Rushing terminou. Um ano depois, faleceu em Nova York.

tampa redTampa Red (1904-1981) nascido em Smithville, Georgia, como Hudson Woodbridge, mais conhecido desde a infância como Hudson Whittaker, ganhou o apelido por seu brilhante cabelo vermelho. Fora as dezenas de guitarristas que gravaram blues, apenas um punhado como Elmore James, Muddy Waters e Robert Johnson, por exemplo, deixaram marca, criando um estilo reconhecível e muito copiado. Tampa Red era outro guitarrista modelo e influente. Durante seu auge nos anos 20 e 30, ele foi chamado de ‘The Guitar Wizard’ e suas deslumbrantes gravações com a guitarra acústica ou elétrica mostra o porquê de ter recebido o título. Influenciado pelo seu irmão mais velho, Eddie, que tocava guitarra, ele foi inspirado por um velho músico de rua chamado Piccolo Pete. Na década de 20, tendo já aperfeiçoado a sua técnica de slide, ele se mudou para Chicago e começou a sua carreira como músico, adotando o nome de Tampa Red. Sua grande chance foi quando contratado para acompanhar Ma Rainey. Sua carreira musical de 30 anos produziu centenas de estilos: desde o ‘hokum’, um tipo música humorística que usa analogias ou eufemismos para fazer insinuações sexuais; o pop, e o ‘jive’, uma mistura de rock e boogie woogie, mas principalmente o blues incluindo composições clássicas como ‘Anna Lou Blues’, ‘Black Angel Blues’, ‘Crying Won't Help You’, ‘It Hurts Me Too’ e ‘Love Her with a Feeling’.

No início da carreira Tampa Red, se juntou ao pianista e compositor Tom Dorsey e formaram a banda ‘The Boys Hokum’. Ambos já haviam tocado juntos na banda da cantora Ma Rainey e como dupla fizeram grande sucesso em 1928 com a canção ‘Tight Like That’. Quando Tom Dorsey mudou o seu estilo para a música gospel, Red continuou como artista solo. Os que conhecem de Tampa Red apenas as gravações de hokum desconhecem um dos pilares do Chicago blues. Os seus companheiros eram Big Bill Broonzy com quem partilhou uma amizade especial e Lester Melrose, um dos primeiros produtores de registros de blues pela ‘Bluebird Records’ onde Tampa Red gravou juntamente com o pianista Big Maceo Merriweather. O que eles criaram ficou conhecido como ‘The Beat Bluebird’, uma mistura do velho estilo de blues com ritmos modernos.

Jazz Gillum (gaitista), Tampa Red, Little Bill Gaither (guitarrista), Big Bill Broonzy (guitarrista), Jack Dupree (pianista)

Jazz Gillum (gaitista), Tampa Red, Little Bill Gaither (guitarrista)
Big Bill Broonzy (guitarrista), Jack Dupree (pianista)

Tampa Red é frequentemente descrito como um músico ou artista urbano: tocava nas ruas; no circuito de representações de teatros vaudeville, um gênero de entretenimento de variedades tão diversificado em temas, gêneros e artistas; e nos diversos clubes de Chicago. Além disso, sua casa servia como salão de ensaio da comunidade do blues. De acordo com o testemunho de Big Bill Broonzy e Big Joe Williams, Tampa Red cuidava dos outros músicos, oferecendo-lhes uma refeição e um lugar para ficarem e, geralmente, facilitando a transição para a grande cidade. Por volta de 1940 ele estava tocando guitarra elétrica. E assim, se tornou a estrela de Chicago, uma importante ponte entre o blues rural do sul para o estilo do blues urbano que iria evoluir na Windy City, um dos muitos apelidos de Chicago.

No entanto, como muitos artistas de blues da pré-guerra a carreira de Tampa Red foi ofuscada por artistas mais jovens e iria ser ‘redescoberto’, como muitos outros sobreviventes tais como Son House e James Skip, no final década de 50 durante o revival do folk-blues. Em 1954 se aposentou devido aos problemas de saúde causados pelo alcoolismo que o deixou praticamente incapacitado. A influência de Tampa Red ainda é ouvida no blues de hoje, qualquer estudante de guitarra slide está familiarizado com a magia da guitarra de Red, um estilo único que foi ampliado por Robert Nighthawk, Chuck Berry e Duane Allman, co-fundador do grupo ‘The Allman Brothers’.


Tracklist
01. Jimmy Rushing - Good Morning Blues
02. Jimmy Rushing - See See Rider
03. Jimmy Rushing - Take Me Back, Baby
04. Jimmy Rushing - Sent for You Yesterday
05. Jimmy Rushing - Roll'em Pete
06. Jimmy Rushing - My Friend Mr. Blues
07. Jimmy Rushing - Every Day
08. Jimmy Rushing - Sometimes I Think I Do
09. Jimmy Rushing - Take Me with You, Baby
10. Jimmy Rushing - Evenin'
11. Tampa Red - You Missed a Good Man
12. Tampa Red - She Want to Sell My Monkey
13. Tampa Red - She's Love Crazy
14. Tampa Red - Hard Road Blues
15. Tampa Red - Let Me Play with Your Poodle
16. Tampa Red - Crying Won't Help You
17. Tampa Red - Sweet Little Angel
18. Tampa Red - But I Forgive You
19. Tampa Red - So Much Trouble
20. Tampa Red - Big Stars Falling Blues



ABC of the blues volume 38

parte I    parte II



2 comentários:

Khalit Sabanur disse...

Menina, meninaaa!

Show de postagem, procurava esse abc faz tempo rsrsrs

Beijos no core menina

mara* disse...

Beijo Khalit...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...