the ultimate jazz archive: swing to bebop 30

posts relacionados
the ultimate jazz archive: blues

the ultimate jazz archive: boogie woogie
the ultimate jazz archive: swing to bebop, modern jazz
the ultimate jazz archive: big bands
the ultimate jazz archive: vocalists


bud shank

Bud Shank (1926 - 2009) foi saxofonista e flautista e chegou à fama no início dos anos 50 na orquestra de Stan Kenton como flautista, e ao longo da década se apresentou com vários grupos de jazz de pequeno porte. Passou a década seguinte como músico de estúdio em Hollywood. Na década de 70 se apresentou regularmente com o ‘The L.A. Four’, grupo de jazz que tinha como membros o guitarrista brasileiro Laurindo Almeida, o baixista Ray Brown e o baterista Shelly Manne. Finalmente, na década de 80, Bud Shank abandonou a flauta para se concentrar exclusivamente em tocar saxofone. Clifford Everett Shank, Jr. nasceu em Ohio e começou a tocar clarinete, mas mudou para saxofone antes de cursar a universidade. Em 1946, ele trabalhou com Charlie Barnet antes de Stan Kenton. Ele também teve um forte interesse pela bossa nova no início dos anos 50 e em 1962 pelo jazz fusion com tradições indianas em colaboração com o compositor e citarista indiano Ravi Shankar. Shank foi um dos primeiros músicos do jazz a explorar a música brasileira, e gravou vários álbuns para a ‘World Pacific’, uma gravadora de world music dos anos 50. Durante sua carreira, Shank trabalhou com Sergio Mendes e ‘The Mamas and The Papas’, seu trabalho de flauta é ouvido na famosa música ‘California Dreamin'’ do grupo. Shank atingiu as paradas de sucesso em 1966, com seu álbum ‘Michelle’, uma coleção de covers de hits pop. Em 2005 ele formou a ‘Bud Shank Big Band’ em Los Angeles para comemorar o 40º aniversário da ‘Neophonic Orchestra’ de Stan Kenton. Bud Shank morreu de uma embolia pulmonar um dia depois de voltar de San Diego, Califórnia, onde estava gravando um novo álbum.



clifford brown

Clifford Brown (1930 - 1956), também conhecido como ‘Brownie’, foi um influente e altamente cotado trompetista. Ele morreu aos 25 anos, deixando para trás apenas quatro anos de gravações. No entanto, ele teve uma influência considerável nos trompetistas de jazz. Clifford Brown ganhou o seu primeiro trompete do pai em 1945 e entrou na banda da escola pouco tempo depois. Um ano mais tarde, o misterioso mundo dos acordes e improvisações do jazz começou a ser notado em Clifford especialmente pelo músico e entusiasta de jazz Robert Lowery. O trompetista adolescente começou a participar de festivais na Filadélfia, quando se graduou, em 1948. No mesmo ano, entrou para a 'Maryland State College' com uma bolsa de estudo, mas houve um pequeno senão: a faculdade estava momentaneamente sem um departamento de música. Brownie permaneceu por um ano na faculdade, a estudar matemática, e no seu pouco tempo livre tocava ao lado de figuras importantes do bop como Kenny Dorham, Max Roach, J.J. Johnson e Fats Navarro. Este último, bastante impressionado com as suas potencialidades, inspirou e encorajou-o. Teve então a oportunidade de entrar em outra faculdade com um bom departamento de música e uma boa banda de 16 elementos. Aí, pôde aprender arranjos musicais, até uma certa noite de 1950, em que depois de um concerto, no caminho de casa, se envolveu no primeiro de três acidentes automobilísticos, o último dos quais fatal. Durante sua hospitalização de um ano, Dizzy Gillespie visitou o jovem trompetista. Após palavras de encorajamento de Dizzy Gillespie, decidiu continuar a sua carreira musical. Teve o seu próprio grupo na Filadélfia por uns tempos, e posteriormente juntou-se ao combo de Chris Powell e depois ao de Tadd Dameron em Atlantic City. Seguiu em turnê pela Europa em 1953 ao lado de Lionel Hampton. Em 1954, ganhou o prêmio da ‘Down Beat’ como a nova estrela do ano. Mudando-se para a Califórnia, formou uma aliança com Max Roach, a qual durou até à sua morte prematura, em 1956. Em suas mãos o bebop atingiu o pico de criatividade. A sua vida limpa tem sido citada como a quebra da influência da heroína no mundo do jazz, um modelo estabelecido por Charlie Parker. Clifford ficou longe das drogas e não gostava de álcool. O saxofonista tenor, compositor e arranjador de bebop e hard bop, Benny Golson, que tinha feito uma temporada na banda de Lionel Hampton, com Brown, escreveu ‘I Remember Clifford’ para honrar a sua memória. A peça tornou-se um clássico do jazz, e vários outros músicos prestaram homenagem ao gravarem suas próprias interpretações.



charlie parker

Charlie Parker (1920 – 1955) é juntamente com Dizzy Gillespie, o criador e a principal voz instrumental do bebop. Tocou entre 1937 e 1941 na orquestra de Jay McShann, porém com muitas interrupções e períodos de profundas dificuldades financeiras e pessoais. Tocou ainda nas orquestras de Earl Hines em 1943 e de Billy Eckstine em 1944. De repente rompeu com as orquestras e passou a tocar com pequenos conjuntos, principalmente com o grupo de músicos geniais que se reuniam no ‘Minton´s’ e que viriam a formar o núcleo criativo do bebop. Os improvisos de Parker possuíam uma intensidade, liberdade e virtuosismo até então desconhecidos no jazz. No entanto, seguiam uma lógica impecável. Parker teve uma vida pessoal extremamente conturbada, o que o levou à morte prematura, em 1955, aos 35 anos. Leia +...



barney kessel

Barney Kessel (1923 - 2004) foi guitarrista que influenciado pelo estilo de Charlie Christian, seu grande ídolo, começou a tocar aos dezesseis anos em turnê com bandas de baile antes de passar para bandas como a liderada por Chico Marx. Aos dezenove anos mudou-se para Los Angeles onde rapidamente se estabeleceu entre os grandes músicos da cidade. Em 1944 ele participou do filme ‘Jammin 'the Blues’, que contou com Lester Young, e em 1947 ele gravou com Charlie Parker. Na década de 50, fez uma série de álbuns com Ray Brown no baixo e Shelly Manne na bateria. Também foi membro do Oscar Peterson Trio, com Ray Brown por um ano. Era considerado um dos principais membros do grupo de músicos conhecido como 'The Wrecking Crew'. Nesta função, ele tocou em centenas de famosas gravações pop, incluindo álbuns e singles de Phil Spector, 'The Beach Boys', 'The Monkees' e muitos outros. Em 1973 formou com os guitarristas Herb Ellis e Charlie Byrd o grupo ‘Great Guitars’. Ele rapidamente se estabeleceu como um grande guitarrista de jazz pós-Charlie Christian. Em 1983 fez seu debut em Nova Iorque como líder. Barney Kessel ficou conhecido com seu estilo despojado, incrível swing e sua maestria ao improvisar harmonicamente, somado a sua capacidade de tirar profunda emoção de belas baladas. Infelizmente este músico extraordinário passou por maus momentos. Em 1992 sofreu um infarto que o forçou a dedicar-se somente a dar aulas o que afetou bastante seu orçamento. No início de 2001 foi diagnosticado com câncer no cérebro, que causou sua morte em 2004. Barney Kessel influenciou diversos músicos da Bossa Nova, dentre os quais Eumir Deodato e João Gilberto. Barney Kessel é conhecido por seu trabalho inovador e em especial pelo seu vasto conhecimento de acordes e inversões.



the ultimate jazz archive 30


30-1: Bud Shank (1953)
parte I    parte II

Tracklist
01. Speak Low 02. Atabaque 03. Acertate mas 04. Amor flamenco 05. Terra seca 06. Baa-too-kee 07. Inquitacao 08. Tocata 09. Cariсosa 10. Noctambulism 11. Non'o 12. Hazardous 13. Blue baião 14. Stairway to the stars

30-2: Clifford Brown (1953)
parte I    parte II

Tracklist
01. Carvin' the rock 02. Bellarosa 03. Cookin' 04. Brownie speaks 05. De-Dah 06. You go to my head 07. Wail bait 08. Hymn of the orient 09. Brownie eyes 10. Cherokee 11. Easy living 12. Minor mood 13. Philly JJ 14. Choose now 15. Stockholm sweetni' 16. Scuse these blues 17. Lover come back to me

30-3: Charlie Parker (1949-1954)
parte I    parte II

Tracklist
01. Au Privave 02. K.C. Blues 03. She Rote 04. Swedish Schnapps 05. Laird Bird 06. The Song is You 07. Kim 08. Why Do I Love You? 09. My Little Suede Shoes 10. Fiesta 11. Lover Man 12. Blues for Alice 13. Begin the Beguine 14. I Can't Get Started 15. What is This Thing Called Love? 16. Almost Like Being in Love 17. I Remember You 18. Confirmation 19. Chi Chi 20. Now's the Time 21. I Love Paris 22. Love For Sale

30-4: Barney Kessel (1952-1954)
parte I    parte II

Tracklist
01. Seven Come Eleven 02. Night And Day 03. Long Ago And Far Away 04. Somebody Loves Me 05. Strike Up The Band 06. 'S Wonderful 07. I Got Rhythm 08. Love Walked In 09. Tenderly 10. Bernardo 11. Vicky's Dream 12. Just Squeeze Me 13. What Is There To Say? 14. Salute To Charlie Christian 15. I Let A Song Go Out Of My Heart 16. Lullaby Of Birdland 17. Barney's Blues



Um comentário:

www.amsk.org.br disse...

FELIZ 2012, CHEIO DE PAZ, SAÚDE, HARMONIA E UMA PITADINHA DE SORTE.

COZINHA DOS VURDÓNS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...