the ultimate jazz archive: swing to bebop 25

posts relacionados
the ultimate jazz archive: blues

the ultimate jazz archive: boogie woogie
the ultimate jazz archive: swing to bebop, modern jazz
the ultimate jazz archive: big bands
the ultimate jazz archive: vocalists


george shearing

George Shearing (1919 - 2011) foi um pianista britânico, considerado uma lenda e reconhecido pelo clássico ‘Lullaby of Birdland’. Cego de nascença, Shearing foi um dos nove filhos de um carvoeiro e começou a tocar piano aos três anos de idade. Foi influenciado por jazzistas como Teddy Wilson e Fats Waller. Na década de 30, ele se juntou a 'Ambrose Dance Band', uma banda profissional só de cegos e fez a sua primeira gravação em 1937, sob a supervisão do então jovem pianista britânico e crítico de jazz, Leonard Feather. George Shearing se tornou uma estrela em sua terra natal, tocando para a BBC, e fazendo parte dos grupos com sede em Londres do violinista francês Stéphane Grappelli na década de 40. Influenciado por Leonard Feather, emigrou em 1947 para New York onde absorveu o bebop e substituiu Errol Garner no trio de Oscar Pettiford e liderou um quarteto juntamente com Buddy DeFranco. Um compositor de destaque e arranjador há mais de cinco décadas, George Shearing, durante os anos 50 e 60, liderou um dos quintetos mais populares do mundo do jazz, tocando em um estilo que ele chamava ‘locked hands’ e inventou um som único derivado da combinação de piano, vibrafone, guitarra, baixo e bateria; do qual participaram grandes nomes. Shearing gravou inúmeros discos de sucesso e contribuiu também como pioneiro dos pequenos combos de jazz afro-cubano nos anos 50. Desta forma, Cal Tjader, apesar de ser descendente de suecos, se iniciou nos ritmos cubanos, latinoamericanos e caribenhos sem jamais abandonar tais sonoridades até a sua morte. O quinteto também contava com os percussionistas Mongo Santamaria, Willie Bobo e Armando Peraza entre seus músicos. Mais tarde, George Shearing se apresentou nas formações em trio, duo ou solo. Também trabalhou com os cantores Nat King Cole, Peggy Lee, Ernestine Anderson, Carmen McRae e Mel Tormé. Ele gravou cinco álbuns aclamados com Mel Torme, incluindo ‘An Evening with Mel Torme & George Shearing’ de 1982, vencedor do prêmio Grammy. A dupla ganhou um segundo Grammy no ano seguinte. Shearing continuou a ser uma força vital também na década de 90. Em 1996, o pianista foi nomeado pela rainha Elizabeth II no Palácio de Buckingham como Oficial da Ordem do Império Britânico por sua musicalidade e serviço na promoção das relações entre Inglaterra e EUA.



gene ammons

Gene Ammons (1925 - 1974) também conhecido como ‘the boss’, foi saxofonista tenor, e filho do pianista de boogie-woogie Albert Ammons. Nascido em Chicago, Illinois, como Eugene Ammons, começou a ser reconhecido quando ainda estava na escola. Em 1943, então com 18 anos, juntou-se à banda do trompetista King Kolax. No ano seguinte uniu-se à banda de Billy Eckstine que deu a ele o apelido de ‘Jug’ e tocando ao lado de Charlie Parker e mais tarde Dexter Gordon. Apresentações notáveis deste período incluem ‘Blowin' the Blues Away’, com um duelo entre saxofone de Ammons e de Dexter Gordon. Depois de 1947, quando Eckstine se tornou um artista solo, Ammons fez parte de um grupo que incluía Miles Davis e Sonny Stitt. Em 1949 substituiu Stan Getz na banda de Woody Herman e em 1950 formou um dueto com Sonny Stitt. Os anos 50 foram um período fértil para Ammons que produziu algumas gravações aclamadas, como ‘The Happy Blues’ apresentando o pianista de hard bop Freddie Redd e o saxofonista Lou Donaldson. Sua carreira foi interrompida depois de duas penas de prisão por posse de narcóticos, a primeira de 1958 a 1960, e a segunda de 1962 a 1969. Após a sua libertação em 1969, depois de ter cumprido uma pena de sete anos na penitenciária Joliet, ele assinou o maior contrato já oferecido na época pelo produtor musical Bob Weinstock da ‘Prestige Records’. Gene Ammons e Von Freeman foram os fundadores da escola de Chicago do saxofone tenor. O estilo de Ammons mostrou influências de Lester Young, assim como de Ben Webster. Juntamente com Dexter Gordon e Sonny Stitt, ajudou no desenvolvimento emergente do movimento bebop e a variedade rítmica de Charlie Parker é evidente em sua maneira de tocar. Enquanto adepto dos aspectos técnicos do bebop, Ammons mais que Lester Young, Bem Webster ou Charlie Parker, ficou também em contato com o blues e o R&B comerciais. Nos anos 60, foi um dos fundadores do movimento que combinava o saxofone tenor e o órgão elétrico Hammond B3 e mostrou pouco interesse, no entanto, no jazz modal de John Coltrane, Henderson Joe ou Wayne Shorter que foi emergente, no mesmo período. Gene Ammons é considerado uma grande influência sobre o estilo de jazz popular do saxofonista tenor Joshua Redman. Gene Ammons morreu de câncer em Chicago com 49 anos.



sonny stitt

Sonny Stitt (1924-1982) foi um saxofonista competente e confiável, e isso fica demonstrado pelo grande número de sessões de gravação em que participou como sideman, nos anos 50, 60 e 70. No início dos anos 40 tocou sax alto na orquestra de Tiny Bradshaw, e em 1945 entrou para a célebre big band de Billy Eckstine, onde estavam também outros bebop como os tenoristas Gene Ammons e Dexter Gordon. Ammons seria seu parceiro musical entre o fim dos anos 40 e o início dos anos 60. Depois tocou na big band e no sexteto de Dizzy Gillespie e gravou com Bud Powell e J. J. Johnson em 1949. Nesse ano começou a tocar sax tenor e barítono. Liderou diversos pequenos grupos nos anos 50 e gravou com o trio de Oscar Peterson em 1957. Voltou a se reunir por um breve período com Dizzy no final dos anos 50, e tocou com o quinteto de Miles Davis em 1960, substituindo John Coltrane. Sonny Stitt tocou com os ‘giants of jazz’: Dizzy Gillespie, Art Blakey, Kai Winding, Thelonious Monk e Al McKibbon no início dos anos 70. A influência de Charlie Parker sobre Sonny Stitt é incontestável, e absorveu muito de Bird, evidente apenas quando toca sax alto. À medida que Sonny começou a privilegiar o sax tenor em vez do alto, a similaridade de estilo, inicialmente muito forte, foi se diluindo. Quando toca tenor lembra, em vários momentos, Lester Young. Nas baladas, em particular, apresenta seu lado mais lírico. Nesse sentido, Sonny está mais próximo de Dexter Gordon. Dominou o bebop, pois esteve presente no movimento desde sua origem, mas também teve o seu lado mais cool; e assim acabou desenvolvendo um estilo próprio, que combina influências de ambos. Sonny Stitt morreu de câncer aos 58 anos. (por V.A. Bezerra)



bud powell

Bud Powell (1924-1966), garoto prodígio do Harlem começou a tocar piano com cinco anos de idade; aos sete já era levado por músicos de jazz a concertos e ensaios para ser admirado; e aos dez já imitava músicos como Fats Waller e Art Tatum, sendo este último a maior influência sobre ele. Na adolescência conheceu seu amigo, guru e admirador Thelonious Monk. Excêntrico e solitário, aos vinte anos, levou pancadas na cabeça de um policial durante uma briga de bar. Como consequência tinha fortes dores de cabeça, e ainda maior estado de ausência. Foi internado de hospital em hospital. No entanto, no mesmo período ajudou a criar, ao lado de Charlie Parker, Thelonious Monk e Dizzy Gillespie o bebop. Powell era um dos únicos músicos capazes de desafiar Charlie Parker em duelos, como os de ‘Round Midnight’, em histórica gravação ao vivo no 'Birdland', clube localizado na Broadway e inspirado em Yardbird, apelido formal de Charlie Parker. Em 1941, Bud Powell já era um nome relativamente conhecido no meio musical nova-iorquino e foi convidado pelo ex-trompetista da orquestra de Duke Ellington, Cootie Williams, para excursionar com sua banda. Agravaram-se seus problemas com a bebida, e passava dias perambulando pelas ruas, voltando para casa com a ajuda de amigos como o então adolescente e admirador Jackie McLean, que cuidou dele durante certo período.

Anos mais tarde, foi preso junto com Thelonious Monk por porte de drogas e foi mais uma vez mandado para uma instituição psiquiátrica, onde permaneceu por um ano e meio. Lá recebeu sessões de eletrochoque e só lhe foi permitido tocar piano uma vez por semana, sob supervisão. Sua memória foi seriamente danificada, não se lembrando de amigos próximos, como Monk, e não reconhecendo gravações suas. Ao sair estava ainda mais alterado; seu estilo ficou definitivamente prejudicado, e durante os anos 50 suas apresentações são por vezes geniais e freqüentemente paupérrimas. Em 1959 mudou-se para Paris, acompanhado de uma moça a quem chamava de ‘Buttercup’ (algo como ‘chuchu’) e que se dizia sua esposa; no entanto, nunca foram casados. Tempos mais tarde, seu amigo Francis Paudras descobriu que a tal moça lhe dava doses diárias e cavalares de calmantes, e junto com Johnny Griffin o afastou dela. Bud Powell melhorou e voltou a compor. Compõem ‘In the Mood for a Classic’, dedicada ao povo francês, que tanto apreciava a sua música e o tratou com muito carinho nos cinco anos que lá viveu. Francis Paudras conseguiu agendar seis semanas para o amigo no ‘Birdland’ e Bud Powell recebe mais atenção em seu retorno do que em toda sua carreira, e esse retorno foi um sucesso. Não muito tempo depois o comportamento irregular de Powell atrapalhou seus planos novamente, e o contrato de seis semanas foi cancelado antes de seu término. Solitário, e vagando por New York, Powell retornou à sua vida auto-destrutiva. Voltou a beber descontroladamente, o que o levou à morte por cirrose hepática aos 41 anos. Apesar do curto tempo de vida, passado, em grande parte, em instituições mentais, e das poucas gravações, Powell figura entre os maiores nomes do jazz. (por Fernando Jardim)




the ultimate jazz archive 25



25-1: George Shearing (1947-1953)

Tracklist
01. When Darkness Falls 02. So Rare 03. Buccaneer's Bounce 04. Have You Met Miss Jones? 05. Sweet And Lovely 06. Bop's Your Uncle 07. Sophisticated Lady 08. Cozy's Bop 09. September In The Rain 10. East Of The Sun (West Of The Moon) 11. Conception 12. Pick Yourself Up 13. Jumpin' With Symphony Sid 14. I'll Remember April 15. Summertime 16. I Didn't Know What Time It Was 17. I'll Be Around 18. Easy Living 19. How High The Moon 20. Lonely Moments 21. Lullaby Of Birdland 22. Love Is Just Around The Corner


25-2: Gene Ammons (1947-1953)

Tracklist
01. El Sino 02. Ineta 03. Wild Leo 04. Leaping Leo 05. You Go To My Head 06. Jug Head Rumble 07. Goodbye 08. Don't Do Me Wrong 09. My Foolish Heart 10. Baby, Won't You Please Say Yes 11. Prelude To A Kiss 12. You're Not The Kind 13. Just Chips 14. Street Of Dreams 15. Good Time Blues 16. Travellin' Light 17. Redtop 18. Fuzzy 19. Stairway To The Stars 20. Jim Dawgs


25-3: Sonny Stitt (1949-1952)

Tracklist
01. Elora 02. Afternoon in Paris 03. Teapot 04. Blue mode 05. All God's Chillun Got Rhythm 06. Sonny Side 07. Bud's Blues 08. Sunset 09. Fine and Dandy 10. I want to be happy 11. Taking a chance of love 12. P.S. I love you 13. This can't be love 14. Can't be friends 15. Liza (All the Clouds I'll roll away) 16. Imagination 17. Cherokee 18. After you've gone 19. Our very own 20. Sitt's it 21. Cool mambo 22. Blue Mambo 23. Sonny Sounds 24. Ain't misbehavin' 25. Later


25-4: Bud Powell (1949-1950)

Tracklist
01. Tempus Fugit 02. Celia 03. Cherokee 04. I'll Keep Loving You 05. Strictly Confidential 06. All God's Chillun Got Rhythm 07. So Sorry Please 08. Get Happy 09. Sometimes I'm Happy 10. Sweet Georgia Brown 11. Yesterdays 12. April In Paris 13. Body And Soul



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...