the ultimate jazz archive: swing to bebop 21

posts relacionados
the ultimate jazz archive: blues

the ultimate jazz archive: boogie woogie
the ultimate jazz archive: swing to bebop, modern jazz
the ultimate jazz archive: big bands
the ultimate jazz archive: vocalists


lionel hampton

Lionel Hampton (1908 - 2002), foi considerado o primeiro vibrafonista do jazz, também foi um hábil baterista, pianista e cantor e foi líder de bandas. Ao longo da sua vida, Hampton tocou com os grandes nomes do jazz desde Benny Goodman e Buddy Rich, a Charlie Parker e Quincy Jones. Como membro do grupo de Benny Goodman ele fez alguns de seus melhores discos, tendo solos memoráveis em canções como ‘Dizzy Spells’ e ‘Moonglow’. Ele também realizou sessões de gravação com músicos lendários como Coleman Hawkins, Benny Carter e Nat Cole, alguns dos melhores do jazz da época. Lionel Leo Hampton nasceu em Louisville, Kentucky, e foi criado por sua avó e em 1916 sua família mudou-se para Chicago. Na juventude, Hampton era um membro do ‘Bud Billiken Club’, um clube para jovens negros. Durante a década de 20, quando ainda era um adolescente teve aulas de xilofone e bateria com o baterista de blues e jazz Jimmy Bertrand. E mudou para Califórnia em 1927 ou 1928, tocando bateria para o ‘Dixieland Blues-Blowers’. Sua estréia em gravações foi com ‘The Quality Serenaders’, e foi baterista do bandleader Les Hite. Durante este período começou a praticar no vibrafone. Em 1930, Louis Armstrong chegou à Califórnia e contratou a banda de Les Hite, pedindo a Hampton para tocar o instrumento. Assim começou sua carreira como vibrafonista, popularizando o seu uso desde então.

Durante os anos 30, ele estudou música na 'University of Southern California'. Em 1934, conduziu a sua própria orquestra. Em 1936, a orquestra de Benny Goodman chegou a Los Angeles para tocar no famoso salão de dança ‘Palomar Ballroom’, e Goodman convidou Lionel Hampton para integrar seu trio, que assim se tornou o famoso ‘Benny Goodman Quartet’, com o pianista Teddy Wilson e o baterista Gene Krupa completando o lineup. O trio e depois quarteto estavam entre os primeiros grupos de jazz racialmente integrados e em uma época que o jazz era dominado por grandes bandas. Enquanto trabalhou para Goodman em New York, Hampton também gravou com diversos pequenos grupos conhecidos como ‘Lionel Hampton Orchestra’. Em 1940 deixou Goodman em circunstâncias amistosas para formar sua própria big band que se tornou popular durante os anos 40 e início dos anos 50. Sua terceira gravação em 1942 produziu uma versão do clássico ‘Flying Home’ com solo do saxofonista Illinois Jacquet que antecipou o rhythm & blues. O sucesso fez com que gravasse ‘Flying Home, Number Two’ com o saxofonsta Arnett Cobb.

O guitarrista Billy Mackel ingressou em sua orquestra em 1944, e iria tocar e gravar com ele quase continuamente através dos anos 70. Em 1947 Lionel Hampton gravou ‘Stardust’ com o trompetista Charlie Shavers e com o baixista Slam Stewart no concerto ‘Just Jazz’. Dos anos 40 até início dos anos 50, Hampton gravou para a 'Decca Records' com inúmeros jovens artistas que mais tarde alcançaram fama, como o baixista Charles Mingus, o saxofonista Johnny Griffin, o guitarrista Wes Montgomery, a vocalista Dinah Washington e o tecladista Milt Buckner. E continuou a gravar com pequenos grupos e em jam sessions. Durante os anos 60, os grupos de Hampton estavam em declínio, e não se sairam muito melhor na década de 70. Mesmo assim, Lionel Hampton permaneceu ativo até sofrer um derrame em Paris em 1991. Esse incidente, combinado com anos de artrite crônica forçou-o a parar drasticamente. Em 1997, seu apartamento pegou fogo e destruiu seus prêmios e pertences. Hampton escapou ileso vindo a falecer em 2002.



charlie shavers

Charlie Shavers (1920 - 1971), nascido Charles James Shavers, foi um trompetita que tocou com Dizzy Gillespie, Roy Eldridge, Johnny Dodds, Jimmy Noone, Sidney Bechet, Midge Williams e Billie Holiday. Foi também arranjador e compositor, uma de suas composições, ‘Undecided’, é um clássco do jazz. Charlie Shavers foi um dos grandes trompetistas a surgir durante a era do swing, um virtuoso com um estilo moderno e extrovertido, juntamente com seu forte senso de humor. O seu pai, um parente distante do também trompetista Fats Navarro, era de uma proeminente família de Key West, Florida, e Charlie era primo do boxeador Earnie Shavers. Nascido em Nova York, inicialmente Charlie tocava piano e banjo antes de mudar para o trompete. Nos anos trinta tocou com o bandleader Tiny Bradshaw e dois anos depois, ingressou na banda de Lucky Millinder. Logo depois, com apenas 16 anos, se juntou, como solista, ao sexteto de John Kirby, onde mostrou sua versatilidade. Seus arranjos e solos contribuíram muito para essa banda tornar-se uma das mais bem sucedidas comercialmente e amplamente imitada. Shavers era requisitado para sessões de gravação e participou com os notáveis pioneiros do jazz de Nova Orleans, Johnny Dodds, Jimmy Noone e Sidney Bechet. Depois de deixar Kirby em 1944, Charlie Shavers trabalhou durante um ano com a orquestra de Raymond Scott e depois se juntou a orquestra de Tommy Dorsey, com quem excursionou e gravou até 1953. Apesar de bem sucedida, esta associação manteve Shavers fora dos holofotes do jazz, mas felizmente ele gravou com o ‘Metronome All-Stars’ e fez uma série de gravações como solista com Billie Holiday. De 1953 a 1954 trabalhou com Benny Goodman, e excursionou pela Europa com a popular ‘Jazz at the Philharmonic’, título de uma série de concertos de jazz, turnês e gravações produzidas por Norman Granz. Nestes concertos aconteceram ‘duelos’ bastante emocionantes com Roy Eldridge, e Charlie Shavers sempre foi um dos favoritos da multidão. Após a morte de Dorsey, ele formou a sua própria banda com o vibrafonista Terry Gibbs e com o baterista Louie Bellson. Durante os anos 60, a sua técnica desvaneceu-se gradualmente. Charlie Shavers morreu de câncer na garganta com 53 anos.



charlie christian

Charlie Christian (1916 - 1942) foi um agente importante no início da guitarra elétrica, e é citado como uma figura-chave no desenvolvimento do bebop e cool jazz. Nascido Charlie Henry Christian em Dallas, Texas, foi criado em Oklahoma. Seus pais eram músicos. Charles queria tocar saxofone tenor na banda da escola, mas o seu professor insistiu que ele tocasse trompete. Por acreditar que o trompete iria desfigurar os seus lábios, ele saiu para perseguir o seu interesse no beisebol, onde se sobressaiu. Começou a se dedicar à guitarra em 1937 e dois anos depois já era contratado por Benny Goodman como membro de sua orquestra e solista de seu sexteto. Christian fez o teste para John Hammond, que o recomendou para bandleader Benny Goodman. Na época, Goodman apresentava ao vivo músicos negros. Goodman inicialmente resistiu em contratar Christian, porque a guitarra elétrica era um instrumento relativamente novo no jazz. No entanto, ficou tão impressionado com a técnica que o contratou e Christian compôs muitas das canções originais gravadas pelo sexteto de Benny Goodman. Sua técnica combinada com amplificação ajudou a trazer a guitarra das seções rítmicas para a vanguarda como um instrumento solo. Charlie Christian emancipou a guitarra, até então instrumento eminentemente rítmico. Primeiro grande guitarrista de jazz, seu sentido de tempo, não centrado exclusivamente na marcação 4/4, era surpreendente para a época. Christian anunciou em suas poucas obras, a crescente complexidade rítmica do jazz moderno, bem como suas notáveis concepções harmônicas e melódicas antecipavam a estética do bop. Participante ativo das jam sessions do clube de jazz Mintons, fundado pelo saxofonista tenor Henry Minton em 1938), e localizadoo no Harlem, em Nova York, onde o bop tomava forma no início da década de 40. Charlie Christian morreu tuberculoso aos 22 anos, e é reconhecido como pioneiro do bop e considerado o primeiro grande solista de guitarra no jazz.



dexter gordon

Dexter Gordon (1923-1990) saxofonista-tenor de bop foi considerado um dos pioneiros do bebop. Dexter combinava em seu estilo o tom cru de Hawkins e o fraseado melodioso de Lester Young. Apelidado de ‘Long Tall Dex’ pela sua altura, carismático e afável Dexter Gordon fez uma carreira misturando ritmo e romance habilmente, tanto no palco quanto na tela. Nativo de Los Angeles começou etudando clarinete com 13 anos que depois trocou pelo sax tenor. Ele estudou sob a tutela de Lloyd Reese, que também teve Charles Mingus e Buddy Collette como alunos. Entre 1940 e 1980 tocou com grandes nomes. O primeiro grande salto de Dexter foi no começo dos anos 40 com Lionel Hampton, e três anos depois fez sua estréia como líder de sua própria banda. Já em 1941 o grande Coleman Hawkins afirmou que Dexter era um dos seus tenoristas favoritos. Dexter tocou em seguida com Nat King Cole, Lee Young, Fletcher Henderson e Louis Armstrong. Em 1944 foi para New York tocar na orquestra de Billy Eckstine, cheia de beboppers que o influenciaram bastante. Também tocou com Dizzy Gillespie antes de retornar para sua cidade natal, Los Angeles, em 1946. Também tocou, durante alguns meses com a banda de Fletcher Henderson. Gordon era considerado um virtuose, particularmente por seus duetos de saxofone com Wardell Gray , intitulado ‘The Chase’ que atraiu a atenção de críticos fazendo com que gravasse para o selo Savoy. Nos anos 50, problemas com drogas forçaram Dexter a períodos de inatividade e até mesmo levaram-no à prisão. Nos anos 60, recuperado e imbuído de novo ânimo, Gordon desfrutou uma longa associação com a Blue Note Records. Os sete álbuns que lançou pela gravadora neste período são considerados seus melhores trabalhos.

Gordon fez várias aparições em filmes notáveis. A primeira ocorreu, curiosamente, enquanto ele estava na prisão por posse de heroína. Ele retratou um preso que tocava na banda da prisão. Depois disto, passou 15 anos residindo na Europa, principalmente em Paris e Copenhague. Quando viveu na Dinamarca, fez amizade com a família do futuro baterista do ‘Metallica’, Lars Ulrich e, posteriormente, tornou-se padrinho de Lars. Neste período, retornou algumas vezes aos Estados Unidos para gravar. Em 1976 retornou aos EUA, se apresentando no clube de jazz ‘Village Vanguard’, onde desfrutou uma acolhida de herói e assinou com a Columbia Records gravando álbum com as presenças de Slide Hampton e Woody Shaw. Mas, problemas pessoais, como um segundo casamento desfeito e problemas com a bebida, fizeram com que sua música entrasse numa fase descendente. No entanto, em 1986 viveu seu terceiro comeback, atuando no filme ‘Round Midnight’ (leia +...) de Bertrand Tavernier, que teve a trilha sonora composta por Herbie Hancock. Dexter realizou um retrato brilhante e pungente de Dale Turner para o filme, um personagem baseado em Bud Powell e Lester Young - que foi rodado em Paris. A convincente e tocante interpretação de Dexter, no papel do veterano saxofonista alcoólatra Dale Turner, surpreendeu a todos e lhe valeu uma indicação para o Oscar. Seu último grande concerto foi o encontro com a New York Philharmonic. Ele morreu no dia 26 de abril de 1990. Dexter Gordon morreu de insuficiência renal aos 67 anos. Ele foi eleito o músico do ano pela revista ‘Down Beat’ em 1978 e 1980, e no último ano foi introduzido no Jazz Hall of Fame. Influenciado por Lester Young, o som de Dexter Gordon no sax tenor por vezes parecia o de um sax alto, por sua leveza, com um fraseado que usualmente era relaxado e lírico, embora fosse plenamente capaz de uma abordagem mais agressiva, dependendo da ocasião - afinal, ele era oriundo do bebop. Sua música influenciou muitos jazzistas, especialmente tenoristas, e sua figura se tornou cult entre o grande público.



the ultimate jazz archive 21



21-1: Lionel Hampton (1937-1940)

Tracklist
01. China Stomp (Chinatown) 02. I Know That You Know 03. On the Sunny Side of the Street 04. Drum Stomp 05. After You`ve Gone 06. Ring Dem Bells 07. Muskrat Ramble 08. Shoe Shiner's Drag 09. High Society 10. It Don't Mean A Thing 11. Sweethearts On Parade 12. Twelfth Street Rag 13. Memories Of You 14. One Sweet Letter From You 15. I've Found A New Baby 16. Four Or Five Times 17. The Sheik Of Araby 18. Dinah 19. Singin' The Blues 20. House Of Morgan 21. Jivin' With Jarvis 22. Blue Because Of You 23. Doug-Rey-Mi


21-2: Charlie Shavers (1938-1941)

Tracklist
01. Undecided 02. Rehearsin' For a Nervous Breakdown 03. Royal Garden Blues 04. Blue Skies 05. Opus 5 06. Front And Center 07. Sweet Georgia Brown 08. It Feels Good 09. Andiology 10. Coquette 11. Zooming At the Zombie 12. Jumpin' In the Pump Room 13. 20th Century Closet 14. Blues Petite 15. Can't We Be Friends? 16. Beethoven Riffs On 17. Prelude For Trumpet 18. The Peanut Vendor 19. Blue Fantasy 20. Revolutionary Etude 21. Ida! Sweet As Apple Cider 22. Echoes Of Harlem


21-3: Charlie Christian (1939-1941)

Tracklist
01. Flying Home 02. Stardust 03. Soft Winds 04. Seven Come Eleven 05. Honeysuckle Rose 06. AC-DC Current 07. Till Tom Special 08. Gone With "What" Wind 09. Poor Butterfly 10. Good Enough To Keep (Air Mail Special) 11. Six Appeal 12. I Never Knew13. Lester's Dream 14. Royal Garden Blues 15. Wholly Cats 16. As Long As I Live 17. Benny's Bugle 18. I Can't Give You Anything But Love 19. Breakfast Feud 20. I Found a New Baby 21. Profoundly Blue 22. A Smo-o-o-oth-One 23. Solo Flight


21-4: Dexter Gordon (1943-1947)

Tracklist
01. Dexter Gordon/I've Found a New Baby 02. Rosetta 03. Sweet Lorraine 04. I Blowed And Gone 05. If I Had You 06. Blow Mr. Dexter 07. Dexter's Deck 08. Dexter's Cuttin' Out 09. Dexter's Minor MOOD 10. Long Tall Dexter 11. Dexter Rides Again 12. I Can't Escape From You 13. Dexter Digs In 14. Dextrose 15. Index 16. Dextivity



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...