pink floyd

pink floydMagnífica, insuperável, 'Pink Floyd', é banda inglesa de rock progressivo, uma das mais importantes bandas de rock de todos os tempos, além de uma das mais bem sucedidas. Famosa pelo seu estilo progressivo e pelos espetáculos ao vivo extremamente elaborados, o ‘Pink Floyd’ evoluiu de uma banda de rock formada em 1964 que fazia um folk-rock e que teve vários nomes: ‘Sigma 6’, ‘The Meggadeaths’, ‘The Abdabs’, ‘The Screaming Abdabs’, ‘The Architectural Abdabs’. Quando a banda se separou, os guitarristas Rado ‘Bob’ Klose e Roger Waters, o baterista Nick Mason e o instrumentista de sopro, Rick Wright formaram uma nova banda, chamada ‘Tea Set’. Depois de um pequeno período com o vocalista Chris Dennis, o guitarrista e vocalista Syd Barrett se juntou a banda, com Waters mudando para o baixo. Quando o ‘Tea Set’ descobriu que outra banda tinha esse mesmo nome, Barrett deu a idéia de um nome alternativo, ‘Pink Floyd Sound’, devido a sua admiração pela arte dos músicos de blues Pink Anderson e Floyd Council. Por um tempo a banda oscilou entre os dois nomes, até se decidirem pelo segundo. O ‘Sound’ foi deixado de lado rapidamente, mas o ‘The’ continuou sendo usado regularmente até 1968.

pink floyd - David Gilmour, Syd Barrett, Nick Mason, Roger Waters, Rick Wright (1968)Com a entrada de Syd Barret, que era compositor, pintor, artista performático e consumidor inveterado de drogas, o grupo tinha um modesto sucesso na segunda metade da década de 1960 produzindo rock psicodélico. Um ano depois de lançarem o seu primeiro álbum, a banda teria que se conformar com uma terrível baixa: a falta de condições mentais de Syd. A linha que limitava a genialidade e a loucura de Syd Barrett se tornava mais tênue a cada momento. Problemas mentais provenientes de uma infância conturbada se agravaram em virtude do uso excessivo de alucinógenos e Syd Barrett começou a apresentar um comportamento algumas vezes esquizofrênico e algumas vezes alienado. A situação se agravou até o ponto em que ele não conseguia mais tocar ou compor e no palco limitava-se a um único acorde e a olhar para um ponto perdido no espaço. O comportamento de Barrett forçou seus colegas de banda a afastá-lo e substituí-lo pelo guitarrista e cantor David Gilmour. Com a saída de cena de Barrett, o baixista e vocalista Roger Waters tornou-se o líder e com David Gilmour assumiu as composições, tornando a banda mais próxima do pop. Esta fase foi marcada pela produção de álbuns conceituais como ‘The Dark Side of the Moon’ (1973), ‘Wish You Were Here’ (1975), ‘Animals’ (1977) e ‘The Wall’ (1979). Mas após o álbum, ‘The Final Cut’ (1983). O grupo separou-se e em 1985, Waters declarou que o ‘Pink Floyd’ estava extinto, mas os demais membros, agora liderados por Gilmour, mais o tecladista Rick Wright e o baterista Nick Mason, após briga judicial, retomaram a banda com o nome oficial e seguiram gravando e se apresentando. Em 2005 e pela primeira vez em 24 anos, a formação mais clássica do ‘Pink Floyd’ voltou a tocar no concerto ‘Live 8’, em Londres. Em 2008, o tecladista Richard Wright morreu, pondo um fim no sonho de um possível retorno do ‘Pink Floyd’.

pink floyd - Waters, Mason, Wright e Gilmour

Waters, Mason, Wright e Gilmour
(formação clássica do Pink Floyd nos anos 1970)

Syd BarrettEra Syd Barrett (1964–1968)

Os primeiros lançamentos no Reino Unido da banda, durante a era do Syd Barrett, vinham creditados como ‘The Pink Floyd’. Rado ‘Bob’ Klose que era bastante influenciado pelo jazz, saiu depois de ter gravado somente uma demo, deixando uma formação diferente com Syd Barrett na guitarra e vocais principais, Roger Waters no baixo e vocais de apoio, Nick Mason na bateria e percussão, e Rick Wright revezando nos teclados e vocais de apoio. Barrett logo começou a escrever suas próprias composições, influenciado pelo rock psicodélico norte-americano e britânico, com extravagância e humor. O ‘Pink Floyd’ se tornou favorito no movimento underground. Lançado em 1967, o primeiro álbum da banda, ‘The Piper at the Gates of Dawn’, é atualmente considerado um ótimo exemplo da música psicodélica britânica e é visto como o melhor primeiro álbum por muitos críticos. As faixas, predominantemente escritas por Barrett, mostram letras poéticas e surreais, às vezes fazendo referência ao folclore. O álbum foi um hit no Reino Unido, mas não foi muito bem na América do Norte. O disco foi gravado simultaneamente ao aclamado ‘Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band’ dos Beatles, no estúdio da Abbey Road, e os integrantes das bandas frequentemente se encontravam no corredor e conversavam sobre influências musicais. Ambos os álbuns são citados como o início do rock progressivo.

Roger WatersEra Roger Waters (1976-1985)

Durante essa era, Roger Waters tomou cada vez mais controle do trabalho do ‘Pink Floyd’. Demitiu Rick Wright depois que o ‘The Wall’ foi terminado, argumentando que Wright não estava contribuindo muito, em parte por causa do vicio de cocaína. David Gilmour e Nick Mason foram contra a demissão. Nas músicas desse período, Waters explora os sentimentos sobre a morte de seu pai na Segunda Guerra Mundial, e sua crescente atitude de cinismo, contra figuras políticas como Margaret Thatcher. A música é orientada pela guitarra com teclados e saxofones. Uma orquestra completa faz um papel significante em ‘The Wall’ e especialmente ‘The Final Cut’.

‘Animals’, no entanto, é mais orientado pela guitarra do que os álbuns anteriores, e pela influência do movimento punk rock. Foi o primeiro a não ter uma composição feita por Wright. Contém canções longas ligadas por um tema, tirado do livro ‘Animal Farm’ de George Orwell, em que usou ‘Pigs’, ‘Sheeps’ e ‘Dogs’ como metáforas dos membros da sociedade contemporânea. Apesar da relevante guitarra, sintetizadores ainda fazem uma importante parte de ‘Animals’, mas é carente de saxofone e vocais femininos. Muitos críticos não receberam muito bem o álbum, considerando-o tedioso. O porco no entanto se tornou um dos mais memoráveis símbolos do ‘Pink Floyd’ e porcos infláveis são utilizados em concertos do desde então.

A ópera rock de 1979, ‘The Wall’, concebida por Roger Waters, lida com temas como solidão, falha de comunicação, que foram expressos pela metáfora de um muro construído entre um artista de rock e sua audiência. Um filme intitulado ‘Pink Floyd: The Wall’ foi lançado em 1982, incorporando toda a música do álbum. O filme, escrito por Waters e dirigido por Alan Parker. É considerado o maior video de rock do mundo, e certamente o mais depressivo. O álbum ‘The Final Cut’ de 1983 foi dedicado ao pai de Waters, Eric Fletcher Waters. Ainda mais sombrio em sonoridade que o ‘The Wall’, incluindo a raiva de Waters da participação da Inglaterra na Guerra das Malvinas, a culpa que ele colocou nos líderes políticos.

David GilmourEra David Gilmour (1987-1995)

No final de 1985, Waters anunciou que estava saindo do Pink Floyd e descreveu a banda como ‘uma força criativa desgastada’. Uma disputa legal foi inciada por Waters, reivindicando que o nome ‘Pink Floyd’ deveria ser colocado de lado, mas Gilmour e Mason seguraram sua convicção que eles tinham direitos legais para continuar com o nome. O processo acabou se acertando por um acordo fora dos tribunais. Sem Waters, que foi o letrista da banda por uma década, a banda recebeu ajuda de escritores de fora. Como o ‘Pink Floyd’ nunca havia feito isso antes e essa atitude recebeu muitas críticas. Por causa das poucas contribuições de Mason e Wright, alguns críticos dizem que ‘A Momentary Lapse of Reason’ deveria ser considerado como um trabalho solo de Gilmour, do mesmo jeito que ‘The Final Cut’ seria um trabalho solo de Waters. Um ano depois, a banda lançou o álbum ao vivo ‘Delicate Sound of Thunder’ (1988). Em 1995, a banda recebeu seu primeiro e único prêmio Grammy para Melhor Performance de Instrumental de Rock com ‘Marooned’.

‘The Piper at the Gates of Dawn’ (1967) foi o único álbum da banda que foi feito sob a liderança de Syd Barrett. O álbum tem letras caprichosas sobre espantalhos, gnomos, bicicletas e contos de fadas, juntamente com passagens instrumentais de rock psicodélico. O título é baseado no conto infantil ‘O vento nos salgueiros’, de Kenneth Grahame, onde o rato e a toupeira, enquanto procuram um animal perdido, têm uma experiência religiosa: ‘Este é o local do meu sonho, onde eu ouvi a música,’ segredou o rato, como se estivesse em transe. ‘Aqui é o meu local sagrado, se O pudermos encontrar nalgum lado, é aqui’. O flautista (piper) é identificado com o deus grego Pan.

Pink Floyd - The Piper at the Gates of Dawn (1967)

The Piper at the Gates of Dawn (1967)

Tracklist
01. Astronomy Domine 02. Lucifer Sam 03. Matilda Mother 04. Flaming 05. Pow R. Toc H. 06. Take Up Thy Stethoscope And Walk 07. Interstellar Overdrive 08. The Gnome 09. Chapter 24 10. Scarecrow 11. Bike

Antes do novo disco de estúdio, a EMI resolveu lançar no mercado uma coletânea, contendo músicas dos tempos de Syd Barrett e coisas inéditas. ‘Relics’ (1971) é notável, pois pela primeira vez, um LP trazia os clássicos ‘See Emily Play’ e ‘Arnold Layne’, além de outras preciosidades, tais como ‘Paintbox’, ‘Julia Dream’, ‘Careful with That Axe, Eugene’ e a inédita ‘Biding My Time’. ‘Relics’ teve duas capas, a norte-americana (da esquerda) e a inglesa que é um desenho feito pelo baterista Nick Mason, nos anos em que estudou arquitetura na ‘Regent Street Polytechnic’.

pink floyd - relics (1971)

Relics (1971)

Tracklist
01. Arnold Layne (Syd Barrett) 02. Interstellar Overdrive (Syd Barrett/Roger Waters/Rick Wright/Nick Mason) 03. See Emily Play (Syd Barrett) 04. Remember a Day (Rick Wright) 05. Paintbox (Rick Wright) 06. Julia Dream (Roger Waters) 07. Careful with That Axe, Eugene (David Gilmour/Roger Waters/Rick Wright/Nick Mason) 08. Cirrus Minor (Roger Waters) 09. The Nile Song (Roger Waters) 10. Biding My Time (Roger Waters) 11. Bike (Syd Barrett)

‘Meddle é um dos meus discos favoritos. Para mim, é o começo de tudo o que o Pink Floyd faria’. Palavras ditas por David Gilmour, que, finalmente, parecia feliz com um álbum de estúdio de sua banda. Gravado aos pedaços em vários estúdios, o disco traz uma das músicas mais emblemáticas da banda, a belíssima ‘Echoes’. A banda começava a encontrar o que tanto buscava. ‘Meddle’ (1971) trazia uma capa diferente, um ouvido embaixo d'água, que foi usado como base para o desenho final, feito por Storm Thorgerson.

Pink Floyd - Meddle (1971)

Meddle (1971)

Tracklist
01. One of These Days 02. A Pillow of Winds 03. Fearless 04. San Tropez 05. Seamus 06. Echoes

‘Dark Side of the Moon’ (1973) é um álbum baseado em concepções de astronomia sobre a face oculta, ou escura da lua, o disco propôs analogias deste fenômeno com teorias psicanalíticas, onde temas mundanos como dinheiro, loucura, ética, vida, morte e outros são tratados de modo reflexivo. A capa do disco consiste em um prisma dispersivo usado para transformar um feixe de luz em vários espectros de cores, uma brincadeira alusiva ao ato de esclarecer aquilo que está obscuro. É considerado por muitos críticos e fãs como sendo a obra prima da banda. O álbum é uma ponte entre o blues rock clássico e a música electrônica. No entanto são os tons mais suaves e as nuances líricas e musicais que fazem com que este álbum seja uma obra à parte. ‘Dark Side of the Moon’ é o nono álbum mais vendido de todos os tempos no mundo inteiro. Foi considerado uma inovação em termos de engenharia e mixagem, contém alguns dos mais complicados usos dos instrumentos e efeitos sonoros existentes à época e até hoje é uma referência para os audiófilos que o usam para testar a fidelidade dos equipamentos de áudio.

Relação com o filme 'The Wizard of Oz' (O mágico de Oz)
Quando o álbum é tocado simultaneamente com o filme de 1939 ocorrem algumas correspondências entre o filme e o álbum.
- Quando Dorothy está na fazenda e ela olha para o alto, no audio surge barulho de avião.
- O som da caixa registradora no princípio de 'Money' aparece exatamente quando Dorothy pisa pela primeira vez a estrada dos tijolos amarelos; que é também o momento em que o filme passa de preto e branco para cores. Outra referência é a aparição da fada dourada;
- No momento em que a bruxa do Oeste aparece, é tocada a palavra 'black';
- A cena em que Dorothy encontra o espantalho (personagem que alegava não ter cérebro) é acompanhada pela música 'Brain Damage' (dano cerebral), e quando a letra da música começa a tocar: 'the lunatic is in my head...' (o lunático está na minha cabeça), o espantalho começa a dançar freneticamente como um lunático;
- O bater de coração no fim do álbum ocorre quando Dorothy tenta ouvir o coração do homem de lata;
- No momento em que a bruxa do oeste lança uma bola de fogo contra Dorothy e seus companheiros, a música grita 'run!' (corra);
- No momento que Dorothy encontra Oz, entra a música 'Us and Them', soando 'Us' como 'Oz' bem quando aparece a primeira imagem de Oz;
- Várias frases das letras contidas nas músicas coincidem com os mesmos atos sendo executados pelos atores no mesmo momento;
- A duração da maioria das músicas coincide precisamente com a duração das cenas no filme.

A banda insiste que isso são puras coincidências. Quando este fato começou a vir a público em 1997, iniciou-se um enorme interesse pelo fenômeno. Quer as correspondências sejam verdadeiras ou imaginadas, alguns fãs do álbum gostam de ver 'Dark side of the rainbow', como é chamada muitas vezes esta combinação.

Pink Floyd - Dark Side Of The Moon (1973)

Dark Side Of The Moon (1973)

Tracklist
01. Speak to Me 02. Breathe in the Air 03. On the Run 04. Time 05. The Great Gig in the Sky 06. Money 07. Us and Them 08. Any Coulour You Like 09. Brain Damage 10. Eclipse

‘Wish You Were Here’ (1975) fala sobre a ausência e em duas das suas faixas, ‘Welcome to the Machine’ e ‘Have a Cigar’ sobre os aspectos negativos da indústria musical. O álbum é melancólico. Diz-se que a faixa que dá título ao álbum ‘Wish You Were Here’ fala sobre o que eles pensavam ser o desmoronamento da banda, e é também um tributo a Syd Barrett. ‘Shine On You Crazy Diamond’ é uma peça dividida em nove partes e uma homenagem a ele. A qualidade musical do álbum é tão grande que alguns dos fãs da banda o consideram superior aos álbuns ‘The Dark Side of the Moon’ e ‘The Wall’.

Pink Floyd - Wish You Were Here (1975)

Wish You Were Here (1975)

Tracklist
01. Shine on You Crazy Diamond, Pts. 1-5 02. Welcome to the Machine 03. Have a Cigar 04. Wish You Were Here 05. Shine on You Crazy Diamond, Pts. 6-9

‘Animals’ (1977) é o 12º álbum de estúdio. É um disco conceitual, isto é, todas as músicas abordam um mesmo assunto. O conteúdo é inspirado na obra ‘Animal Farm’ (A Revolução dos Bichos), do britânico George Orwell. O livro narra a história metafórica de uma fazenda em que os animais se libertam dos humanos para retratar as condições injustas da sociedade capitalista. Todas as músicas recebem nomes de animais. ‘Dogs’, por exemplo, fala dos capitalistas selvagens, e ‘Sheep’ refere-se ao povo oprimido. ‘Animals’ marca o início do monopólio de Roger Waters sobre a banda: das cinco canções, quatro são composições do músico.

Pink Floyd - Animals (1977)

Animals (1977)

Tracklist
01. Pigs on the Wing (part 1) 02. Dogs 03. Pigs (Three Different Ones) 04. Sheep 05. Pigs on the Wing (part 2)

A inspiração de Roger Waters para a criação do álbum ‘The Wall’ (1979) aconteceu em Montreal, Quebec, durante um concerto para a divulgação do álbum ‘Animals’ em 1977. Waters cuspiu no rosto de um fã que o estava perturbando. De imediato, repugnado com o seu ato , surgiu-lhe a ideia de construir um muro entre ele e o público, idéia essa desenvolvida mais tarde para a produção de ‘The Wall’. O conceito do álbum, tal como a maioria das músicas, pertence a Roger Waters. A história retrata a vida de um anti-herói, ‘Pink’ que é martelado e espancado pela sociedade desde os primeiros dias da sua vida: sufocado pela mãe, oprimido na escola, ele constrói um muro em sua consciência para isolá-lo da sociedade, e refugia-se num mundo de fantasia que criou para si. Durante uma alucinação provocada pela droga, Pink transforma-se num ditador fascista apenas para que a sua consciência rebelde o ponha em tribunal, onde seu juiz interior ordena-lhe que mande abaixo o seu próprio muro e se abra para o mundo exterior.

Pink Floyd - The Wall (1979)

The Wall (1979)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. When the Tigers Broke Free 02. In the Flesh? 03. The Thin Ice 04. Another Brick in the Wall (part 1) 05. The Happiest Days of Our Lives 06. Another Brick in the Wall (part 2) 07. Mother 08. Goodbye Blue Sky 09. Empty Spaces 10. What Shall We Do Now 11. Young Lust 12. One of My Turns 13. Don't Leave Me Now 14. Another Brick in the Wall (part 3) 15 .Goodbye Cruel World

Tracklist CD 2
01. Hey You 02. Is There Anybody Out There? 03. Nobody Home 04. Vera 05. Bring the Boys Back Home 06. Comfortably Numb 07. The Show Must Go On 08. In the Flesh 09. Run Like Hell 10. Waiting for the Worms 11. Stop 12. The Trial 13. Outside the Wall

'Echoes: The Best of Pink Floyd' é uma compilação da banda britânica que atingiu o ouro, platina e dupla platina em 2001 nos EUA, onde foi recentemente listado como tripla platina (3 milhões de cópias vendidas). 'Echoes inclui boa parte do trabalho da banda, desde 'Arnold Layne', de 1967, até 'The Division Bell', de 1994. Possui músicas de todos os álbuns, exceto do 'Atom Heart Mother', 'Ummagumma', 'Obscured by Clouds' e do 'Music from the Film More'. Considerando que os dois últimos são trilhas sonoras, nota-se certo descontentamento da banda quanto ao conteúdo dos outros dois discos, apesar de o produtor James Guthrie ter cogitado a inclusão de 'If' e 'Fat Old Sun', do 'Atom Heart Mother', e de 'Grantchester Meadows' do 'Ummagumma'. As músicas do álbum são seqüências umas das outras (não há espaço entre uma música e outra) e todas foram remasterizadas para a compilação. A capa traz diversas referências a outros álbuns da banda.

pink floyd - echoes (2001)

Echoes (2001)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. Astronomy Domine 02. See Emily Play 03. The Happiest Day of Our Lives 04. Another Brick in the Wall (Parte 2) 05. Echoes 06. Hey You 07. Marooned 08. The Great Gig in the Sky 09. Set the Controls for the Heart of the Sun 10. Money 11. Keep Talking 12. Sheep 13. Sorrow

Tracklist CD 2
01. Shine On You Crazy Diamond (Partes 1-7) 02. Time 03. The Fletcher Memorial Home 04. Comfortably Numb 05. When the Tigers Broke Free 06. One of These Days 07. Us and Them 08. Learning to Fly 09. Arnold Layne 10. Wish You Were Here 11. Jugband Blues 12. High Hopes 13. Bike

pink floyd - us and them
(com cenas do filme '2001:Space Odyssey' de Kubrick)



2 comentários:

Edison Junior disse...

Volto de viagem e logo me deparo com esse magnífico post sobre uma das minha bandas favoritas. Bjs.

mara* disse...

É a minha favorita e quero descer as escadarias ouvindo 'us and them'...amo. Bjs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...